Acne pode surgir por fatores genéticos e estressantes

A doença ocorre a partir do estímulo hormonal e é um processo inflamatório das glândulas sebáceas e dos folículos pilossebáceos

Foto: Kjerstin Michaela Haraldsen via Flickr – CC

O tema do Saúde sem Complicações desta semana é a acne, com a professora Cacilda da Silva Souza, do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP.

Cacilda esclarece que a acne é uma doença que surge por meio de causas variadas, como a genética, o uso de medicações e até mesmo o estresse. A infecção ocorre a partir do estímulo hormonal e é um processo inflamatório das glândulas sebáceas e dos folículos pilossebáceos e, normalmente, tem maior incidência na adolescência.

Existem graus de acne, desde o mais leve, conhecido popularmente como cravo; o grau dois, que já apresenta maior inflamação por conta do rompimento do folículo pilossebáceo; o grau três, que possui lesão mais acentuada, dolorosa e do tamanho de um caroço; até a acne grau quatro, que é mais grave, pois essas lesões se agrupam formando túneis embaixo da pele, com bactérias e formação de pus,  além da possibilidade de deixar cicatrizes.   

Para a professora, o ideal para o cuidado com a pele é manter o equilíbrio, removendo a oleosidade, mas sem traumatizá-la com irritações causadas por produtos. “A indicação para o tratamento da acne também deve levar em consideração como a situação está atingindo a qualidade de vida do paciente, por isso a intervenção é cada vez mais precoce”, afirma.

O tratamento dos casos mais graves é feito com medicações orais derivadas da vitamina ácida, que, segundo Cacilda, é uma grande revolução no tratamento da acne, mas que deve ser usada apenas com prescrição médica. O programa Saúde sem Complicações é produzido pela locutora Mel Vieira e por Maju Petroni, com apresentação de Mel Vieira e trabalhos técnicos de Mariovaldo Avelino e Luiz Fontana. Direção de Rosemeire Talamone.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.