A tragédia de Brumadinho não pode ser esquecida

“É uma violação dos direitos humanos”, afirma Dallari, os quais não podem ser preservados sem que se assegure a preservação do meio ambiente

  • 72
  •  
  •  
  •  
  •  

A coluna Globalização e Cidadania desta primeira semana de 2019 traz o professor Pedro Dallari tratando da tragédia de Brumadinho: “Como primeiro programa da coluna em 2019, não poderia deixar de abordar a situação dramática que se revelou com a destruição da barragem da Vale em Brumadinho, que vitimou, tudo leva a crer, mais de 300 pessoas […] com danos para a coletividade, de toda ordem, desde um colapso emocional indescritível, não só para as famílias, mas para toda a coletividade, como danos de arrecadação tributária, sem falar nos danos irreversíveis para o meio ambiente”.

A violação dos direitos humanos, por tudo que foi mostrado pela TV (as imagens mais chocantes), pela comoção nacional e internacional, com toda razão de uma altíssima indignação, lembra, aqui, o percurso que os direitos humanos traçaram para chegar ao nível em que estão nos dias atuais: da primeira, em Estocolmo (1972), Rio de Janeiro (1992) e Joanesburgo (2002). Confira o post.

  • 72
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados