A chave principal para uma boa alimentação são os produtos “in natura”

A nutricionista Maria Aquimara Zambone recomenda o consumo de alimentos encontrados em feiras e dá a dica: “Se você começar a ler os ingredientes que constam na embalagem de um produto e não entender nada, mude”

 21/01/2021 - Publicado há 1 ano

 

“É essencial que a alimentação conte com todos os grupos alimentares, inclusive gorduras e carboidratos”, diz especialista – Foto: Visual hunt

A importância de uma alimentação saudável é fato consumado. Mas, ainda assim, o tema deixa dúvidas e há espaço para muita desinformação. Em entrevista ao Jornal da USP no Ar Primeira Edição, a nutricionista Maria Aquimara Zambone, do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, explica o que é uma alimentação saudável e como mantê-la. 

Atualmente, não há nenhuma dúvida quanto à influência de uma alimentação saudável e adequada na prevenção de doenças crônicas como obesidade, diabete, hipertensão, muito comuns na sociedade brasileira, afirma a nutricionista. 

No Brasil, existe um Guia Alimentar para a População Brasileira, desenvolvido pelo Ministério da Saúde. “É um dos melhores que existem no mundo”, diz. O livro conta com uma série de passos a serem seguidos para manter uma alimentação saudável. Entre eles, Maria Aquimara destaca o consumo de alimentos in natura

Optar pelos alimentos in natura é importante, porque, assim, deixa-se de lado os alimentos ultraprocessados. “Quais são os alimentos ultraprocessados? Aqueles que a gente precisa de uma embalagem, de uma identificação para saber o que tem ali e que contêm diversos corantes, conservantes”, explica. São esses inúmeros adicionais encontrados nesses alimentos que podem causar danos à saúde.

Maria lembra também que é essencial que a alimentação conte com todos os grupos alimentares, inclusive gorduras e carboidratos. “O que acontece às vezes é que as pessoas apontam determinados nutrientes como vilões da alimentação e, na verdade, a gente precisa de todos eles”, diz. Outros aspectos, como o local onde é adquirido o alimento, a forma de preparo, o tempo dedicado às refeições, tudo isso deve ser considerado.

Em tempos de pandemia, a alimentação pede ainda mais cuidado. A nutricionista diz que o que se observa é que as pessoas passaram a comer mais, mas não necessariamente comer de maneira adequada, o que pode ser um perigo. 

Além disso, começaram a se disseminar informações de supostos alimentos que curariam a covid-19. Sobre isso Maria ressalta que os alimentos não são capazes de curar nenhuma doença, em especial a covid-19. “Precisamos sempre manter bem o nosso sistema imunológico e existem alimentos que propiciam isso, nos auxiliam a manter um bom sistema de defesa, mas não quer dizer que eles vão tratar a covid-19”, enfatiza. 

Dentre os pontos levantados pela doutora, destacam-se, então, a importância de uma dieta balanceada e o equilíbrio entre os nutrientes. Não pode nem faltar nem sobrar. Como chave principal para uma boa alimentação, a nutricionista Maria Aquimara aponta os alimentos in natura, facilmente encontrados em feiras ou nos conhecidos “sacolões”. “Se você começar a ler os ingredientes que constam na embalagem de um produto e não entender nada, mude”, encerra.


Jornal da USP no Ar 
Jornal da USP no Ar é uma parceria da Rádio USP com a Escola Politécnica, a Faculdade de Medicina e o Instituto de Estudos Avançados. No ar, pela Rede USP de Rádio, de segunda a sexta-feira: 1ª edição das 7h30 às 9h, com apresentação de Roxane Ré, e demais edições às 10h45, 14h, 15h e às 16h45. Em Ribeirão Preto, a edição regional vai ao ar das 12 às 12h30, com apresentação de Mel Vieira e Ferraz Junior. Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo do Jornal da USP no celular. 


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.