50 anos sem o sonho de Martin Luther King de harmonizar negros e brancos

Um sonho: negros e brancos vivendo em paz uns com os outros, liberdade e justiça sendo desfrutadas por todos os americanos

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Em 4 de abril de 1968, o mundo perdia um sonhador: Martin  Luther King. Cinco décadas depois, suas palavras continuam a inspirar os defensores da igualdade de direitos. O comentarista Alberto do Amaral Junior comenta sobre o legado deixado por esse grande líder.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados