1968 e a afirmação dos direitos humanos

Como estudantes, operários e intelectuais se manifestaram contra a ordem estabelecida, em Paris

  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  

Nesta edição,  o professor Pedro Dallari volta seus comentários sobre o que aconteceu em 1968, principalmente em Paris. Ele inicia sua reflexão observando que os eventos daquele ano estão presentes no imaginário das pessoas, quando houve um levante para marcar, principalmente, a ascendência dos direitos humanos, a afirmação enfática dos direitos humanos, o que guarda relação com a cidadania no mundo globalizado.

Na verdade, diz ele, o que fica da atuação da juventude reflete um processo que já vinha se desenrolando desde o início da década anterior, nos anos 50 – a afirmação de uma juventude inconformada com a ordem estabelecida do pós-guerra. Dessa forma, os movimentos mais marcantes são os de Paris, em 68, quando um levante de estudantes, operários e intelectuais se manifestou contra a economia capitalista, a hierarquia social, a rigidez da vida social, contra a cultura. Uma pichação diz, de forma interessante: “Se você sabe o que você quer você já se aburguesou”. Como a dizer: estamos revoltados contra tudo e contra todos. Confira o post para saber mais sobre o que ocorreu no Brasil naquele ano e sobre o assassinato de Martin Luther King e de Robert Kennedy.

Ouça no link acima a íntegra da coluna Globalização e Cidadania.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados