USP é pioneira na criação do Departamento de Psicologia Médica

José Alexandre de Souza Crippa é professor titular do Departamento de Neurociências e Ciências do Comportamento

Por - Editorias: Artigos - URL Curta: jornal.usp.br/?p=222364
  • 756
  •  
  •  
  •  
  •  
José Alexandre Crippa  – Foto: Cecília Bastos / USP Imagens

A literatura internacional reconhecia até aqui a Faculdade de Medicina da Universidade do Oregon, nos Estados Unidos, como a primeira a criar um departamento de Psicologia Médica, no ano de 1957 (Matarazzo, 1994). A relevância histórica deste acontecimento – um dos marcos da valorização do humanismo e multidisciplinaridade na formação médica – é celebrada por meio de artigos, conferências na American Psychological Association (APA), capítulos de livros, bem como notória distinção na homepage daquela universidade americana. Entretanto, a recente publicação do precioso livro: FMRP-USP, Primeiras Décadas, organizado com esmero por distintos professores desta escola, documenta, resgata e corrige o que era até agora pouco reconhecido. Em 1956, ou seja, um ano antes da Universidade de Oregon, a FMRP foi a primeira escola de medicina a criar um departamento de Psicologia Médica.

O Departamento de Psicologia Médica da FMRP-USP foi idealizado pelo então diretor e fundador da faculdade, professor Zeferino Vaz (1908-1981), sendo uma das pioneiras e inovadoras disciplinas que a instituição já na sua fundação instituiu, contribuindo na transformação do ensino médico no Brasil. Já naquela época, Zeferino Vaz propôs trazer a ampla importância da saúde mental na formação médica, conforme seu discurso: “A psicologia humana é esquecida nas nossas universidades, quando ninguém, em país civilizado, nega mais o profundo significado dos fatores psíquicos no comportamento do homem e da sociedade, assim como no desenvolvimento das mais sérias doenças que afetam o homem na era moderna” (Ferraz, 2005). Assim, Zeferino Vaz antecipou o futuro vislumbrando a importância de técnicas de psicoterapia, modificação comportamental e cognitiva, terapia familiar e interpessoal, entre outras ações, para ajudar no manejo de doenças crônicas, na redução dos sintomas físicos e emocionais da doença e no manejo dos aspectos emocionais das diversas patologias médicas gerais e psiquiátricas. Afinal, isto contribuiria para a formação de um médico melhor, moderno, alinhado com as expectativas da sociedade e com as demandas contemporâneas dos novos tempos, com uma visão mais global do paciente.

O Departamento de Psicologia Médica da FMRP-USP foi inicialmente conduzido pelo psicanalista chileno Sérgio Rodriguez Gonzáles em 1956, sendo substituído no período de 1957 a 1965 pelo também psiquiatra e psicanalista chileno prof. dr. Hernan Ramon Davanzo Corte. Em sua gestão, o professor Davanzo estimulou a compreensão psicológica da relação médico-paciente e no trabalho multidisciplinar e a implementação de programas extra-hospitalares, com foco na reabilitação psicossocial. Posteriormente o departamento ampliou-se para Psicologia Médica e Psiquiatria e, em 1969, ocorreu a fusão com o Departamento de Neurologia, constituindo-se o Departamento de Neuropsiquiatria e Psicologia Médica, e mais recentemente rebatizado como Neurociências e Ciências do Comportamento, sua atual denominação.

Neste contexto departamental, a disciplina de Psicologia Médica da FMRP foi a primeira do País em um curso médico, sendo então oferecida ininterruptamente desde 1956 – três décadas antes de sua obrigatoriedade nas Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Medicina no Brasil. Atualmente a divisão de Psicologia do Departamento de Neurociências e Ciências do Comportamento conta com duas professoras responsáveis por nove disciplinas de graduação, orientação stricto sensu em três programas de pós-graduação e pelo incansável exercício de outras diversas e importantes atividades de ensino, pesquisa, extensão e administração na FMRP-USP.

Referências

  1. Matarazzo JD. Psychology in a medical school: a personal account of a department’s 35-year history. J Clin Psychol. 1994; 50(1):7-36.
  2. José Bento Faria Ferraz. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto-USP: Criação e impacto no ensino médico. Editora Funpec, 2005.
  3. Maria de Lourdes Veronese Rodrigues, Julio Sergio Marchini, Hélio Cesar Salgado e Carlos Gilberto Carlotti JuniorFMRP – Primeiras Décadas. Ed. Funpec, 2018, 266 págs.

 

 

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  • 756
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados