USP amplia parceria acadêmica entre Brasil e Nova Zelândia

Por Luciano Victor Barros Maluly, professor da Escola de Comunicações e Artes da USP

Editorias: Artigos - URL Curta: jornal.usp.br/?p=290340
Foto: Cecília Bastos/USP Imagens

 

A cooperação acadêmica permanece como um dos principais pilares da Universidade de São Paulo, que possui diversos convênios com instituições nacionais e internacionais. Dessa forma, estão sendo promovidas atividades conjuntas na capital e no interior paulista, com o objetivo de ampliar as parcerias entre professores, pesquisadores e instituições. Um desses encontros foi o Seminário de Cooperação Acadêmica Nova Zelândia e Brasil, que aconteceu no Hotel Intercontinental, em São Paulo, em 2 de abril de 2019. Organizado pela Embaixada da Nova Zelândia e a Education New Zealand, o evento contou com a presença de representantes de diversas universidades e instituições de fomento desses países.

Esse dia foi especial porque tive a oportunidade de conhecer o professor e pesquisador em cultura e literatura latino-americana na Massey University, Leonel Alvarado. Nossa conversa girou em torno da pesquisa e da produção radiofônica, tendo como base o programa Universidade 93,7, que é transmitido pela Rádio USP há mais de dez anos. Expliquei a importância desse projeto para a formação acadêmica, assim como falei a respeito das pesquisas realizadas sobre o tema. Alvarado ficou encantado quando expliquei que os programas eram produzidos por alunos da graduação, em sua maioria, e também por professores e pesquisadores da USP, além de colaboradores externos.

Após esse encontro, começamos a trocar mensagens, pois havia interesse mútuo em promover ações que envolvessem as nossas universidades. Nosso objetivo era entender a relação multicultural entre Brasil e Nova Zelândia, tendo como base a produção multilíngue de programas de rádio.

Essa ideia foi repassada aos colegas do Departamento de Jornalismo e Editoração da Escola de Comunicações e Artes, que logo apoiaram a iniciativa. Um mês depois recebi o convite da Massey University para ser professor visitante no segundo semestre de 2019. Como não havia tempo para um pedido de bolsa, solicitei a liberação do meu período de licença-prêmio para a realização desse projeto.

As atividades acadêmicas começaram intensamente em outubro de 2019, nas cidades de Wellington e Palmerston North, onde foram realizadas as gravações com artistas brasileiros de destaque na Nova Zelândia, como a cantora Alda Rezende, o ator Henrique Beirão Burjac e o ativista cultural, professor e psicólogo Taciano Milfont. Além disso, tivemos a honra de entrevistar o escultor e instrumentista maori Warren Warbrick, considerado um dos principais artistas desse país.

Um dos momentos mais marcantes dessa parceria foi a gravação de um programa bilíngue, em português e espanhol, para a Semana da Língua Espanhola, que aconteceu de 21 a 27 de outubro, na capital neozelandesa. O programa foi transmitido ao vivo pela Wellington Access Radio, no dia 22 de outubro, e contou com a produção do argentino radicado na Nova Zelândia, Armando Baudin.

Essas gravações serão apresentadas à Rádio USP para uma possível transmissão, além de disponibilizadas em podcast, no início de 2020. A série de entrevistas integra o corpus da pesquisa Radiojornalismo e integração entre a América Latina e a Nova Zelândia, que firmamos em parceria com a Massey University, por meio do professor Leonel Alvarado.

Nesse período, também tivemos a oportunidade de ministrar uma palestra sobre Jornalismo esportivo: a crônica no futebol brasileiro, na sede da Embaixada do Brasil, em Wellington, que contou com a presença do embaixador Paulo Camargo.

Como professor visitante, acompanhei o trabalho desenvolvido pelo Departamento de Português e Espanhol do Centro de Humanidades e Ciências Sociais da Massey University, que é coordenado pelo professor Leonel Alvarado, com apoio das professoras Cristiane Oliveira e Raquel Direnzo, entre outros docentes e funcionários. Vale destacar que, além das aulas, existem várias atividades de pesquisa, cultura e extensão, que são desenvolvidas em parceria com a comunidade latina. Uma dessas iniciativas foi a Semana do Espanhol, que aconteceu em outubro de 2019 e promoveu diversas ações gratuitas, como dança, teatro, literatura, música, cursos etc.

A internacionalização é um desafio aos docentes da USP, porque possibilita o desenvolvimento de pesquisas de ponta e amplia o processo de ensino-aprendizagem, além de estreitar os laços de amizade e a integração entre as nações, especialmente por meio das instituições parceiras. Só para se ter uma ideia, nosso projeto só foi possível graças ao acordo de cooperação acadêmica firmado entre a Universidade de São Paulo e a Massey University que possibilita, ainda, segundo o documento assinado pelo reitor da USP, Vahan Agopyan, e a vice-reitora da Massey University, Jan Thomas, em 2018, “a elaboração conjunta de projetos de pesquisa; o intercâmbio entre estudantes, docentes e pesquisadores, além das informações e publicações acadêmicas; a organização conjunta de eventos científicos e culturais etc.”.

Por fim, gostaria de compartilhar uma passagem que ilustra as belezas (dos lugares às pessoas) da Nova Zelândia: logo ao desembarcar no Aeroporto de Auckland, você se depara com uma frase que lhe acompanhará por toda a viagem e, talvez, pelo resto da vida: BE HONEST (seja honesto).

 

 

 

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.