USP reduz nota mínima exigida para vagas no Sisu

Neste ano a Universidade oferece 2.338 vagas pelo sistema, que utiliza as notas do Enem

Por - Editorias: Universidade
Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Atualizada em 19/12, às 12h55

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

.

A Pró-Reitoria de Graduação da USP divulgou nesta quinta-feira, 15 de dezembro, as notas mínimas exigidas por cada um dos cursos da Universidade que reservaram vagas para o Sistema de Seleção Unificado (Sisu). Acesse aqui a lista completa e a errata do termo de adesão.

O Sisu utiliza a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para que instituições públicas de ensino superior ofereçam vagas em seus cursos de graduação. No caso da USP, para o vestibular 2017, foram destinadas 2.338 vagas.

A maior parte é exclusiva para alunos de escolas públicas (1.155). Foram destinadas 586 vagas a estudantes de escolas públicas autodeclarados pretos, pardos e indígenas (PPI). As demais vagas (597) podem ser disputadas por todos os candidatos do Enem (ampla concorrência).

Apenas três unidades da USP não aderiram ao Sisu: o Instituto de Física (IF) e a Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) e a Faculdade de Medicina da USP (FMUSP).

Redução das notas

Na primeira experiência com o Sisu, em 2016, foram oferecidas 1.489 vagas e preenchidas apenas 814. Os motivos apontados para o não preenchimento de parte das vagas foram o fato do edital ter previsto apenas quatro chamadas – de forma que ainda havia demanda quando o processo foi encerrado – e as notas mínimas definidas para cada uma das provas do Enem, consideradas muito altas. Em alguns cursos, a nota mínima exigida era de 700 pontos.

Neste ano, não foi estabelecido um limite de chamadas e os cursos reduziram a nota mínima exigida nas provas. Na Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), por exemplo, que no ano passado não preencheu nenhuma das 56 vagas oferecidas, as notas mínimas exigidas passaram a variar de 400 a 600. O curso de Medicina em Ribeirão Preto estabeleceu 500 como nota mínima em todas as provas do Enem.

A Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (Fearp), que no ano passado havia estabelecido 700 como nota mínima no curso de Administração, baixou para 550.

Arquitetura e Design: uma primeira experiência

Neste ano, para poder oferecer vagas no Sisu, as Congregações da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) e do Instituto de Arquitetura e Urbanismo (IAU) da USP optaram por suspender, em caráter experimental, a aplicação da prova de habilidade específica.

A mudança se deu porque a portaria que regula o sistema dispõe que cursos que exijam teste de habilidades não podem oferecer vagas, já que o Enem não realiza esse tipo de avaliação.

Os cursos de Arquitetura tanto da FAU como do IAU definiram que a nota mínima em cada uma das provas do Enem deve ser 600. A mesma nota foi definida para o curso de Design na FAU.

.

20160712_tabela_sisu3

.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados