USP quer atrair pesquisadores estrangeiros para a pós-graduação

Proposta é fomentar a internacionalização dos programas. Também está prevista a implementação de um exame internacional para facilitar o ingresso de alunos estrangeiros

Por - Editorias: Universidade
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

A USP quer atrair pesquisadores estrangeiros para desenvolver atividades acadêmicas em seus Programas de Pós-Graduação. O projeto, que, nesta primeira etapa, está oferecendo 15 bolsas a docentes de instituições de qualquer parte do mundo, faz parte do acordo de cooperação técnica e científica assinado entre a Universidade e a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), em março do ano passado.

A parceria tem por objetivo a inserção na USP de pesquisadores ou professores visitantes do exterior, em todas as áreas do conhecimento, com o intuito de estimular a execução de projetos de pesquisa e a produção de pesquisa científica e tecnológica de alto nível na Universidade, além de incentivar o fortalecimento e a ampliação das ações de pesquisa dos programas de pós-graduação stricto sensu (mestrado e doutorado).

“Trata-se de uma das ações do programa amplo de internacionalização desenvolvido pela Pró-Reitoria”, destaca o pró-reitor adjunto de Pós-Graduação, Marcio de Castro Silva Filho.

Os candidatos à bolsa devem, entre outros requisitos, possuir reconhecida produção científica, capacidade de ministrar aulas em inglês, participar na orientação de alunos e desenvolver pesquisas, com vistas à ampliação da diversidade e das competências estratégicas da Universidade.

Conforme consta no documento assinado entre as duas instituições, ao final da vigência das bolsas, que têm duração de 30 meses, a USP se compromete a abrir vagas nas respectivas áreas de atuação dos bolsistas junto aos departamentos das unidades contempladas com os pesquisadores, possibilitando sua absorção como docentes da Universidade.

As bolsas, com valor estimado em R$ 9 mil cada, serão custeadas com recursos da Capes.

Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail prpg@usp.br ou pelo telefone 3091-3266.

Exame internacional

Outra importante medida visando à internacionalização dos programas, que está em fase avançada, é a implementação do Graduate Record Examination (GRE) como mais uma forma de ingresso de novos alunos na pós-graduação, em todas as áreas do conhecimento.

O GRE é um teste utilizado como critério de admissão em diversos programas internacionais em mais de 160 países. O exame é administrado pela Educational Testing Service (ETS), organização privada norte-americana sem fins lucrativos.

Nos meses de agosto e setembro, representantes do ETS se reuniram com coordenadores dos programas da USP para apresentar as características do exame. Segundo Silva Filho, foi formado um grupo de trabalho para analisar a viabilidade do projeto, que poderá ser implantado a partir do ano que vem. “A implantação do GRE possibilitará que candidatos estrangeiros e de outras regiões do País tenham acesso à USP, ampliando fortemente a internacionalização da pós-graduação”, ressalta.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados