USP coordena festival científico em cinco cidades do Estado de SP

Em maio, Universidade organizará Pint of Science em São Paulo, Ribeirão Preto, São Carlos, Piracicaba e Lorena

Por - Editorias: Universidade - URL Curta: jornal.usp.br/?p=161457
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Durante o festival, as conversas ocorrem em bares – Foto: Divulgação

Nos dias 14, 15 e 16 de maio, o festival Pint of Science realiza mais uma edição no Brasil. A proposta é promover debates sobre assuntos científicos em bares, restaurantes e cafés, de forma simples e descontraída. A USP é responsável por coordenar o festival em algumas cidades de São Paulo. Além da capital, o evento é promovido pela Universidade também em Lorena, Ribeirão Preto, São Carlos e Piracicaba. A coordenação nacional fica por conta da pesquisadora Natalia Pasternak Taschner, também da USP.

Ao longo dos dias, pesquisadores e público dividem o mesmo espaço compartilhando conhecimentos sobre os variados assuntos tratados no festival. Em Lorena, entre os principais temas estão Gênero, raça e sociedade, Bioquímica do corpo, Matemática e intuição. Ribeirão Preto conta com uma programação com os temas como Fake news, Transgênicos: heróis ou vilões? e 100 anos do final da 1º Guerra Mundial: a guerra tecnológica. Em São Carlos, a programação vai desde Parkinson e canabidiol, criptomoedas até Posso confiar nas urnas eletrônicas?. Já em Piracicaba, os eventos possuem temas como Energia nuclear, Um papo sobre ciência, história e estórias, Tecnologia, Alimentação e Saúde.

A programação de São Paulo é a mais extensa ao longo dos três dias, que passa pelo jornalismo científico, ondas gravitacionais, teoria das cordas, relatividade, feminismo, conjuntura política e The Dark Side of The Force, que trará reflexões sobre o “lado escuro” do Universo e suas evidências, além de diversas outras palestras.

Pint no Brasil: uma iniciativa da USP

O Pint of Science nasceu em 2013 através de dois pesquisadores da Imperial College London, após organizarem um evento chamado Encontro com Pesquisadores e decidirem levar as experiências para fora das universidades e institutos. O projeto foi trazido ao Brasil em 2015 através da iniciativa da jornalista Denise Casatti, do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP.

A primeira cidade da América Latina a receber o Pint foi São Carlos, com programação sobre matemática, tecnologia e economia. O evento deu tão certo que, no ano seguinte, em 2016, o evento já estava sendo realizado em sete cidades do Brasil. Hoje são 56 cidades. No âmbito mundial, o projeto já está em 21 países, sendo quatro na América Latina.

Para conferir a programação completa e os espaços que receberão o evento acesse o site do festival. O evento é gratuito, e os participantes pagam apenas a consumação nos locais de realização.

Com informações da Assessoria de imprensa do Pint of Science

 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados