Rede interdisciplinar vai discutir os desafios das grandes cidades

Programa USP Cidades Globais vai articular grupos de pesquisa da Universidade e colaboradores externos para pensar a vida nas regiões metropolitanas

Por - Editorias: Universidade
Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail
Estudos devem embasar modelos que abranjam diversas esferas da vida nas grandes cidades, como mobilidade, poluição e saúde | Foto: Cecilia Bastos
Estudos devem embasar modelos que abranjam diversas esferas da vida nas metrópoles, como mobilidade, poluição e saúde – Foto: Cecilia Bastos/USP Imagens

No dia 13 de julho, o Instituto de Estudos Avançados (IEA) da USP lança o programa USP Cidades Globais, iniciativa que irá reunir e articular grupos de pesquisa da Universidade e colaboradores externos que possam desenhar propostas para a melhoria da qualidade de vida nas regiões metropolitanas.

O projeto foi idealizado pelo diretor do IEA, Paulo Saldiva, a partir de um pedido da Reitoria da USP. Sua abordagem será transdisciplinar, reunindo pesquisas independentes e de diferentes áreas, mas com objetivos similares. As atividades e os resultados dos estudos devem embasar modelos que abranjam diversas esferas da vida nas grandes cidades: mobilidade, poluição, saúde, educação, uso e ocupação do solo, lazer etc.

Inicialmente, o USP Cidades Globais irá se concentrar na cidade de São Paulo. De acordo com o texto do projeto, os cerca de 20 milhões de moradores, distribuídos em 8.051 km², tornam a Região Metropolitana de São Paulo “um laboratório natural em que o ‘sistema metrópole’ pode servir de foco inicial de estudos dos problemas e proposições de soluções cientificamente embasadas”.

Ao reunir pesquisas de diferentes áreas, espera-se ampliar a visão dos desafios que as cidades enfrentarão em um cenário de mudanças climáticas e intensa urbanização previsto para este século. “Queremos detectar perspectivas que só podem ser percebidas a partir de um ponto de vista integrado, conseguindo, assim, conceber políticas públicas que não poderiam ser desenhadas isoladamente por cada projeto”, explica Marcos Buckeridge, coordenador do USP Cidades Globais e professor do Instituto de Biociências (IB) da USP.

Inspirado nas experiências de universidades internacionais, que têm conseguido transformar seu conhecimento científico em melhorias para a sociedade, o programa irá produzir e divulgar uma visão interdisciplinar sobre a cidade de São Paulo, tanto em publicações acadêmicas de conteúdo inovador como nas mídias sociais, em exposições e intervenções urbanas.

Buckeridge afirma que, além de produzir conhecimento e pesquisas, espera-se mudar a cultura da população em relação ao bem-estar. Para isso, as interações com empresas, a mídia e os vários níveis do sistema educacional serão intensificadas.

Se der certo, o USP Cidades Globais poderá ser adaptado para outras cidades globais brasileiras, como Rio de Janeiro, Curitiba e Porto Alegre, e latino-americanas, como Buenos Aires e Cidade do México.

Lançamento

A apresentação será às 20 horas, no Anfiteatro do Instituto Oscar Freire da Faculdade de Medicina da USP. Apenas convidados e a imprensa poderão participar, com inscrição prévia (cadastro da imprensa em: ferezende@usp.br). Demais interessados podem acompanhar ao vivo pelo site do IEA. Mais informações: (11) 3091-1678.

Com informações da Assessoria de Imprensa do IEA

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados