Rede de apoio a pessoas com Parkinson tem primeira palestra on-line

Iniciativa do Neuromat quer melhorar a qualidade de vida de pessoas com doença de Parkinson e seus familiares

Por - Editorias: Universidade
Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail
20161021_01_parkinson
Ilustração de tratamento da doença de Parkinson – Foto: EMSL via Visual Hunt

Visando a melhorar a qualidade de vida de pessoas com doença de Parkinson e seus familiares, o Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão em Neuromatemática (NeuroMat) da USP criou a Rede Amparo. Além de debater estratégias para vencer as dificuldades causadas pela doença, a rede promoverá palestras on-line. A primeira delas será na próxima segunda-feira, dia 24 de outubro.

A convidada é a enfermeira do Centro Internacional Sarah de Neurorreabilitação e Neurociências, no Rio de Janeiro, Michelle Hyczy de Siqueira Tosin. A palestra será moderada pela professora da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP), Maria Elisa Pimentel Piemonte.

Às 16 horas, Michelle fala sobre como melhorar a eficiência das medicações para a doença de Parkinson. O público-alvo são pessoas com a doença, familiares, cuidadores, estudantes e profissionais. Às 17 horas, a enfermeira relata apenas a profissionais da área um caso de mau gerenciamento de medicação para discussão clínica.

Como participar?

Para participar da Rede Amparo e poder assistir às palestras, é necessário realizar um cadastro no site do projeto, no qual é possível também acompanhar toda a programação e estar on-line no dia e hora das palestras.

Os organizadores recomendam, se possível, que o espectador convide pessoas para assistir às palestras, pois isso ajudará na elaboração de perguntas, críticas e sugestões.

Rede Amparo

20161020_RedeAmparoA rede abriga pessoas com doença de Parkinson, familiares, cuidadores, estudantes e profissionais que trabalham com o assunto (como médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, psicólogos, nutricionistas, assistentes sociais e terapeutas ocupacionais). Essa rede vai permitir identificar coletivamente os desafios para melhorar a qualidade de vida das pessoas com a doença, discutir estratégias para vencer esses desafios e buscar meios para implementar essas estratégias por meio do desenvolvimento de políticas públicas.

O NeuroMat é um centro de matemática sediado na USP cuja missão é desenvolver a nova matemática necessária para construir uma teoria do cérebro, tendo em vista os dados experimentais produzidos pela neurociência. O centro tem uma equipe interdisciplinar que reúne pesquisadores de matemática, ciências da computação, estatísticos, neurocientistas, biólogos, físicos e jornalistas, dentre outras áreas.

Mais informações: site https://amparo.numec.prp.usp.br/

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados