Mestrado em Turismo na USP aborda desde gestão até perfil do viajante

Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da USP promove seminário de 28 a 30 de setembro

Por - Editorias: Universidade
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail
Avião pousando no aeroporto Internacional de Guarulhos - Foto: Paulo Pinto/Fotos Públicas
Mestrado inclui análise de sistemas gestores de redes hoteleiras, agências de viagens ou aeroportos – Fotos Públicas

.
Em 2005, o curso de graduação em Lazer e Turismo foi aberto na Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da USP. Em 2012, um grupo de professores iniciou a elaboração do projeto de mestrado em turismo e submeteram a proposta à Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). No final de 2013, a proposta foi aprovada e em março de 2014 teve ingresso a primeira turma de 10 mestrandos. Apesar da fundação recente, até o fim de setembro, todos os alunos já haviam depositado suas dissertações no tempo regimental.

O professor Alexandre Panosso Netto, presidente da Comissão de Pós-Graduação e coordenador do mestrado em Turismo da EACH, aponta que os cursos de pós-graduação se concentram no tema Desenvolvimento do Turismo. Dentro da temática, duas linhas distintas de pesquisa foram delineadas: Turismo: conhecimento e tendências e Turismo: processos e inovação.

Segundo Panosso, “a primeira linha se ocupa mais da reflexão sobre o fenômeno turístico e seu papel enquanto atividade social e cultural, o que significa a viagem, novos métodos de investigação, epistemologia do turismo (uma análise do que é produzido sobre o tema), como a sociedade analisa o tema e políticas públicas em turismo”.

Já a segunda linha “se preocupa mais com os processos de gestão e temas de marketing, tecnologia e inovação em turismo, tal como o desenvolvimento de novos produtos e análise de sistemas gestores de redes hoteleiras, agências de viagens ou aeroportos”, completa. A intenção, de acordo com o professor, é manter, concomitantemente, investigações práticas e teóricas sobre o turismo.

Para leigos, parece difícil imaginar quais são as investigações teóricas desenvolvidas numa área tão prática quanto o turismo. Panosso esclarece que o perfil do viajante pode ser estudado: “Perfis demográficos e psicológicos permitem identificar algumas preferências de viagem”.

“Além disso, um dos nossos mestrandos está analisando os planos para o turismo apresentados pelos partidos políticos que concorreram à presidência do País nos últimos pleitos.” Segundo o professor, a ideia é fazer uma leitura crítica das propostas “que se transformam em políticas públicas e afetam a atividade turística na prática”.

Seminário Anptur

20160926_03_turismoPara fomentar a produção de conhecimento acadêmico na área, a Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Turismo (Anptur) realiza anualmente um seminário científico voltado para a pós-graduação.

O evento é itinerante e, neste ano, será realizado em São Paulo, na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp). De acordo com Panosso, que também é vice-diretor nacional da Anptur, o 13º seminário será na Alesp por dois motivos principais: “Primeiramente, por contenção de gastos, já que teríamos um custo de transporte muito elevado para levar nossos convidados até a EACH. Mas também porque acreditamos ser importante levar ao centro da administração pública do Estado o tema do turismo”.

O XIII Seminário Anptur será nos dias 28, 29 e 30 de setembro. Mais de 300 trabalhos foram enviados para a organização do evento, que está a cargo do mestrado em Turismo da EACH, dos quais 220 foram selecionados. A Conferência Magistral será realizada por José Eli da Veiga, professor do Instituto de Energia e Ambiente (IEE) da USP e o evento contará com a presença de Hasso Spode, da Universidade Técnica de Berlim.

Na manhã do dia 30, ocorrerá uma discussão aberta sobre Políticas Públicas e Turismo, que será televisionada pela TV Alesp. A mesa contará com a presença de representantes do Ministério do Turismo, do empresariado e da academia. Mais informações podem ser obtidas no site do evento.

Pioneirismo

Vista da EACH - Foto: Marcos Santos/USP Imagens
Vista da EACH – Foto: Marcos Santos/USP Imagens

A Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP foi a primeira escola pública do Brasil a ter um curso de graduação em Turismo. Fundado em 1972, o curso foi fundamental para o início das pesquisas nacionais na área.

No final da década de 1980, uma linha de pesquisa em Turismo e Lazer foi aberta nos programas de mestrado e doutorado em Ciências da Comunicação da ECA. A linha foi descontinuada entre 2005 e 2008, mas a USP não perdeu seu mérito como liderança na formatação dos cursos de pós-graduação em Turismo no Brasil, muito por conta do grupo de professores que lideraram este processo, como Mário Carlos Beni, Doris Ruschmann, Wilson Abrahão Rabahy e Americo Pellegrini Filho.

Apesar do pioneirismo da USP, hoje existem cinco programas de doutorado e 12 de mestrado em turismo e áreas afins no Brasil, todos eles  subordinados à Anptur. O curso de graduação em Lazer e Turismo foi fundado na EACH em meados da década passada e, por ter surgido durante a descontinuidade do programa de pós-graduação em Turismo da ECA, atraiu muitos novos pesquisadores para a unidade.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados