Marcha pela Ciência protesta contra cortes no orçamento de 2018

Cientistas vão às ruas no dia 8 de outubro, em São Paulo; movimento faz campanha para arrecadar recursos

Por - Editorias: Universidade
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn6Print this pageEmail
Protesto será na Av. Paulista, em São Paulo – Foto: Marcos Santos/USP Imagens

A partir das 15 horas do dia 8 de outubro, cientistas se reunirão em frente ao Museu de Arte de São Paulo (Masp), na Av. Paulista, na capital paulista, para protestar contra os sucessivos cortes no orçamento que estão tornando a atividade científica inviável no Brasil.

A terceira edição da Marcha pela Ciência é coordenada pela Academia de Ciências do Estado de São Paulo (Aciesp) e pela Associação dos Pesquisadores Científicos do Estado de São Paulo (APqC). Entidades como a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), a Pró-Reitoria de Pesquisa (PRP) da USP e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) apoiam a iniciativa.

O evento também conta com o apoio de vários divulgadores científicos, como Iberê Thenório, Portal Deviante, Canal do Pirula, Bricking Science e vários outros, além dos organizadores da etapa brasileira do festival Pint of Science.

Um dos alvos do protesto é o novo corte na ciência programado no Projeto de Lei Orçamentária Anual para 2018. Ele representa uma redução de quase 40% em relação ao orçamento deste ano, um dos menores da história. Seu valor, de R$ 2,8 bilhões, é 44% menor do que o previsto antes dos cortes anunciados pelo governo federal em março deste ano e representa menos da metade do orçamento de 2005 e menos de um terço do orçamento de 2010 em valores corrigidos pela inflação. Segundo estimativa do Conhecimento sem Cortes, R$ 12 bilhões deixaram de ser investidos em universidades e em pesquisa desde o ano de 2015.

“Cortar a verba da ciência é condenar o desenvolvimento do Brasil”, resume Marcos Buckeridge, presidente da Aciesp e coordenador da atual edição. “Da agricultura à medicina, da indústria à biodiversidade, não há avanços se o conhecimento não avançar. O que está acontecendo compromete não só o trabalho atual, mas o futuro. É uma situação inadmissível”, completa.

A mobilização também pede a revitalização dos institutos de pesquisa do Estado de São Paulo e protesta contra o desmonte das universidades públicas.

Os organizadores criaram uma campanha on-line para arrecadar recursos, confira aqui, além de uma página na qual o público tem acesso a conteúdos relacionados ao evento.

Serviço:

Marcha pela Ciência
8 de outubro, domingo, às 15h na Avenida Paulista, 1.578 (em frente ao Masp)

Da Assessoria de imprensa da Marcha pela Ciência

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn6Print this pageEmail

Textos relacionados