Faculdade de Direito da USP aprova cotas raciais pelo Sisu

Para 2018, 20% das vagas deverão ser reservadas para estudantes autodeclarados pretos, pardos e indígenas

Por - Editorias: Ingresso
Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail
fd61
Auditório da Faculdade de Direito, que está localizada no Largo São Francisco, região central da cidade de São Paulo – Foto: Marcos Santos/USP Imagem

O ano letivo começou e as discussões para o vestibular de 2018 também, com novidades para quem pretende ingressar via Sistema de Seleção Unificada (Sisu) na Faculdade de Direito (FD) da USP. Após votação realizada ontem, 30 de março, a Congregação da FD aprovou a ampliação das vagas reservadas para estudantes de escola pública e, pela primeira vez, a reserva de vagas para alunos pretos, pardos e indígenas (PPIs).

Desde 2015, a faculdade destina, via Sisu, 20% de suas 460 vagas para alunos vindos de escola pública (EP). Para o próximo vestibular, esse número sobe para 30% (138), sendo 20% (92) das vagas destinadas para estudantes autodeclarados PPIs e 10% (46) delas para o restante. As demais vagas continuarão sendo disputadas via Fuvest.

A decisão da Congregação ainda passará pelo Conselho de Graduação e Conselho Universitário da USP.

Em nota divulgada em sua rede social, o Centro Acadêmico (CA) XI de Agosto, que mobilizou estudantes para pressionar a Congregação pela aprovação das cotas raciais, comemorou a decisão. É fundamental ressaltar que esta conquista é resultado de anos de luta do movimento estudantil e do movimento negro por maior democratização ao acesso à Universidade, especialmente às populações historicamente marginalizadas”, escreveram. O CA também ressaltou que continuará lutando para garantir que os ingressantes tenham “condições plenas de permanência” na USP.

 

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados