Hospital das Clínicas esclarece dúvidas na Semana Internacional da Tireoide 

Médicos endocrinologistas ajudarão a entender melhor os problemas que acometem a glândula tireóide

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

No dia 24 de maio, médicos do Ambulatório da Tireoide do Hospital das Clínicas (HC), da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP), irão esclarecer dúvidas da população sobre a tireoide, uma das glândulas mais importantes do nosso corpo.

Haverá distribuição de folders educativos para maior disseminação das informações e exibição de audiovisual sobre o funcionamento da tireoide e das doenças tireoidianas, das 9h30 às 12 horas.

As atividades serão realizadas no Prédio dos Ambulatórios (Av. Enéas de Carvalho Aguiar, 155, próximo à estação Clínicas do Metrô). Elas integram a campanha nacional promovida pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.

Segundo a endocrinologista Suemi Marui, chefe do Ambulatório de Tireoide do HC, o excesso de hormônios tireoidianos pode deixar a pessoa hiperativa, mais nervosa, mais ansiosa, com mais fome e, por outro lado, faz com que perca peso. A falta de hormônio pode causar lentidão dos pensamentos, mais cansaço e até favorecer o ganho de peso.

A tireoide é responsável pela produção dos hormônios T3 (triiodotironina) e T4 (tiroxina), que controlam o metabolismo e participam da função de todo o nosso organismo, influenciando desde o nascimento até a vida adulta. O controle dos hormônios tireoidianos é feito pelo TSH e também depende da ingestão de iodo na dieta.

Outro alerta da médica diz respeito ao uso do hormônio T3 em formulações para combater a obesidade, prática proibida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)

“O consumo indiscriminado do T3 gera perda de massa óssea e de músculo, ao invés de gordura, além de poder causar arritmias cardíacas. O funcionamento da tireoide também é alterado e o paciente certamente desenvolverá hipotireoidismo, após a suspensão do T3, podendo ser reversível ou não”, explica a médica.

Os exames básicos para o diagnóstico da maioria das doenças da tireoide são as dosagens no sangue de TSH e de T4 livre. O T3 é indicado em situações especiais.

Assessoria de Imprensa do HC FMUSP

Mais informações: email bete.subires@hc.fm.usp.br

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados