Fundo criado na FEA mobiliza recursos para dar bolsas a estudantes

Proposta do Fundo Patrimonial é ampliar investimentos em ensino, pesquisa e extensão

Por - Editorias: Universidade
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Iniciativa proporciona maior diversificação nas fontes de receita para a FEA – Foto: Marcos Santos / USP Imagens

.
Fundo Patrimonial – conhecido no exterior como
endowment – é uma espécie de financiamento coletivo por pessoas ou empresas que pode ser adotado por diversos tipos de organizações. Apesar de pouco comum nas universidades brasileiras, o modelo já é amplamente difundido nos Estados Unidos, por exemplo, na Universidade de Harvard, onde um terço dos recursos são obtidos desta forma.

Na USP, a Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) é uma das unidades que decidiram se mobilizar para a criação de seu Fundo Patrimonial. A proposta é promover a sustentabilidade financeira e gerar condições para o desenvolvimento de projetos alinhados às suas necessidades, como a concessão de bolsas de estudos destinadas a alunos de baixa renda.

“A FEA, assim como todas as unidades da USP, está recebendo alunos oriundos do Sisu [Sistema Unificado de Bolsas] e alunos cotistas. Eles precisam de apoio para estudar e o Fundo Patrimonial busca recursos para isso”, afirma o professor José Carlos de Souza Santos, presidente da Diretoria Executiva do Fundo. Ele cita como exemplos de projetos que podem ser custeados a ampliação de vagas do cursinho pré-vestibular da FEA e o apoio a projetos de eficiência energética. Também é possível modernizar a infraestrutura da faculdade, incentivar intercâmbios e pesquisas e ajudar na conservação de acervos.

A ideia é custear essas iniciativas apenas com o rendimento da captação desses recursos. Os projetos a serem financiados são determinados pelo Conselho Curador do fundo, presidido pelo diretor da unidade, professor Adalberto Américo Fischmann, e composto dos chefes dos departamentos, com a representação discente feita por meio do presidente do Centro Acadêmico Visconde de Cairu (CAVC), além de representante de ex-alunos e de doadores.

O Fundo Patrimonial é constituído por recursos doados, tendo como característica fundamental a preservação perpétua desses valores – Imagem: Reprodução / Murilo Lopes via Fundo Patrimonial da FEA

Segundo Santos, o fundo é financiado sobretudo por pessoas que integram ou integraram a comunidade feana. “Estamos falando com alunos, pais de alunos, ex-alunos, professores, funcionários, professores aposentados e funcionários aposentados, além de empresas, em especial empresas que são hoje comandadas por alunos oriundos da FEA”, comenta..

Qualquer interessado pode contribuir com o Fundo Patrimonial da FEA. No caso de pessoas físicas, as cotas de doação variam de R$ 60 a até mais de R$ 1 mil mensais. Há ainda cotas reduzidas exclusivas para alunos da graduação. As empresas têm à disposição quatro cotas anuais.

O vídeo produzido pelo fundo explica melhor a iniciativa:

Além da FEA, outras unidades da USP criaram fundos semelhantes. É o caso da Escola Politécnica (Poli), com o Amigos da Poli, que já financiou a participação de alunos em eventos no exterior, além de projetos para desenvolver soluções de apoio ao SUS e próteses de baixo custo para pessoas com necessidades especiais, por exemplo. A Faculdade de Medicina da USP em São Paulo conta com o FMUSP Endowment, voltado para a capacitação dos alunos, por meio de bolsas de intercâmbio, cursos e congressos.

Mais informações: (11) 3091-6074, site http://www.fpfeausp.org.br e e-mail contato@fpfeausp.org.br

.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados