USP ensina computação a jovens de baixa renda; inscrições abertas

Programa Paideia oferece cursos de preparação para o mercado de trabalho; inscrições vão até 6 de setembro

Por - Editorias: Extensão
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn247Print this pageEmail
Espaço Paideia, onde serão ministradas as aulas, foi inaugurado em 2016 – Foto: Assessoria de Comunicação da Poli

Ainda dá tempo de se inscrever no Programa Paideia, projeto que oferece aulas de computação a jovens de baixa renda da Grande São Paulo. As inscrições são gratuitas, assim como o curso, e serão encerradas no dia 6 de setembro.

O Programa Paideia – Pró-Profissão em Tecnologia da Informação é uma iniciativa do Laboratório de Sustentabilidade (Lassu) da Escola Politécnica (Poli) da USP. Por meio dele, será oferecida capacitação a jovens de baixa renda nas áreas de informática e desenvolvimento de softwares.

Os interessados devem ter entre 16 e 20 anos e precisam estar cursando o segundo ou o terceiro ano ou já ter completado o ensino médio.

Os candidatos às 25 vagas passarão por um processo de seleção dividido em três fases: uma prova escrita, para avaliar as motivações do jovem em relação ao curso, uma entrevista pessoal com os candidatos e, por fim, uma entrevista com a família dos estudantes.

O intuito é envolver os alunos nas áreas de microinformática, programação básica e relacionamento profissional. A carga horária é de 360 horas. As aulas são realizadas das 14 às 17 horas.

O programa está abrigado no Espaço Paideia, que foi inaugurado em novembro de 2016 no segundo andar do prédio do Lassu, laboratório ligado ao Departamento de Engenharia de Computação e Sistemas Digitais (PCS) da Poli.

É ali onde os alunos terão aulas teóricas e atividades práticas em laboratório ministradas por professores da USP e profissionais do mercado. Espera-se, assim, que eles saiam preparados para ter um melhor desempenho no mercado profissional.

Planejado para ter a duração de dois semestres letivos, o projeto surgiu da percepção de que existe um déficit de profissionais na informática, especialmente na área de programação.

Além das aulas semanais, os alunos receberão auxílio para alimentação e transporte, camisetas e jalecos para uso nas salas de aulas, um kit de ferramentas para montagem e desmontagem de equipamentos e apostila com o conteúdo das aulas. A ideia é que esse custo seja integralmente pago por pessoas físicas, por meio de doações, ou por empresas parceiras.

O formulário de inscrição está disponível no site do programa.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn247Print this pageEmail

Textos relacionados