Banca de experimentos divulga ciência de forma fácil e divertida

Projeto estará em estações de trem em São Paulo durante o mês de julho

Por - Editorias: Extensão
Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail
Alunos de Escola Pública fazendo uma Visita à EACH e aprendendo como funciona uma cama de pregos
Em visita à EACH, alunos aprendem como funciona uma cama de pregos – Foto: Divulgação

Pedaços de madeira, caixas de sapato, garrafas pet, elásticos, fios elétricos usados, palitos de sorvete e churrasco e DVDs são exemplos de materiais que, em vez de se tornarem lixo, são transformados em conhecimento pelo projeto Banca da Ciência, desenvolvido na Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da USP desde 2008.

A ideia é desenvolver e recriar experimentos de baixo custo e fácil execução e estimular as pessoas a encarar a ciência como algo divertido. “Também queremos aumentar a procura de carreiras nas ciências exatas”, explica o professor Luís Paulo Piassi, coordenador do projeto.

Alunos brincando com as baratinhas robôs no labirinto - Foto: Divulgação
Alunos brincando com as “baratinhas robôs” no labirinto – Foto: Divulgação

Por isso, a Banca da Ciência é uma iniciativa itinerante. Nas férias de julho, duas estações de trem da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), em São Paulo, receberão atividades do projeto. No dia 7, das 11 às 15 horas, o público poderá colocar um pouco de ciência no cotidiano ao passar pela estação Brás, que atende às linhas 10-Turquesa, 11-Coral e 12-Safira. No dia 21, no mesmo horário, é a vez da estação Palmeiras-Barra Funda, que atende às linhas 7-Rubi e 8-Diamante.

O trabalho nas estações de trem conta com a participação de alunos de graduação da EACH, que montam três bancadas com cavaletes para a exposição dos experimentos. “O público que passa no local é convidado a brincar com os experimentos. Com uma conversa informal, procuramos divertir as pessoas com desafios lógicos, reações químicas, robótica e astronáutica, física, astronomia, geociências, entre outros”, explica Ricardo Augusto Viana de Lacerda, integrante do projeto e especialista em desenvolvimento de recursos didáticos.

Com uma conversa informal, procuramos divertir as pessoas com desafios lógicos, reações químicas, robótica e astronáutica, física, astronomia, geociências, entre outros.”

Lacerda lembra que entrou no projeto logo no início. O então bolsista ficou responsável por desenvolver experimentos que pudessem ser expostos e demonstrados num ambiente semelhante a uma banca de jornal, que, em vez de revistas e jornais, teria experimentos científicos. “Desenvolvi e repliquei vários experimentos na área de física, química, astronomia, matemática, geociências e biologia. Parte do acervo da Banca da Ciência é composta das aulas que ministrei enquanto professor de física e matemática na Rede Estadual de Ensino do Estado de São Paulo, durante 20 anos”, observa.

A ciência em exposição

A Banca da Ciência é um miniespaço de divulgação científica com experimentos, maquetes, revistas, vídeos e outros materiais que ficam expostos no interior de uma banca de jornal adaptada.

Senhora jogando dominó de cores (Banca da Cência Participa da SBPC em São Carlos) - Foto: Divulgação
Senhora joga dominó de cores na Banca da Ciência, durante a reunião da SBPC em São Carlos – Foto: Divulgação

Quando o projeto surgiu, o atendimento ao público era realizado de forma esporádica e acontecia apenas se havia eventos no campus da USP na Zona Leste ou quando um docente solicitava. Em 2010, com o apoio do Programa Aprender com Cultura e Extensão, da Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária da USP, o projeto passou a ser desenvolvido de forma contínua para os alunos, funcionários e docentes da EACH.

Em 2011, o projeto recebeu mais um reforço, com o financiamento do CNPq. Desde então, a Banca consegue organizar um cronograma de visitas de grupos escolares do ensino básico e se estabelecer como um espaço de educação não formal em ciências à disposição das escolas da região.

Em 2013, a iniciativa ganha novo fôlego e passa a ter dois novos objetivos: levar pequenas exposições para eventos externos e realizar intercâmbio com outros grupos de divulgação científica, que é o caso do Caminhão Com Ciência, um projeto da Universidade Estadual de Santa Cruz, em Ilhéus, na Bahia.

Visitas monitoradas

As visitas acontecem sempre às quartas-feiras, das 10 às 15 horas. Elas são oferecidas para grupos de escolas do ensino fundamental e médio, organizados por professores ou coordenadores pedagógicos. Com duração de aproximadamente 90 minutos, a visita inclui mostra de experimentos científicos e uma breve apresentação dos cursos de graduação e pós-graduação oferecidos na unidade, com um detalhamento maior dos cursos de Licenciatura em Ciências da Natureza e Bacharelado em Lazer e Turismo, por terem maior vocação para a formação de futuros divulgadores da ciência.

slide
Alunos brincando com as "baratinhas robôs" no labirinto - Foto: Divulgação
slide
Banca da Ciência na Unifesp, em Guarulhos - Foto: Divulgação
slide
Apresentando a Banca da Ciência no Projeto USP Escola, no Instituto de Física - Foto: Divulgação
slide
Experimentos rápidos de química (Pasta de Dente de Elefante) - Foto: Divulgação
slide
Banca da Ciência na Unifesp, em Diadema, durante recepção dos bixos - Foto: Divulgação
slide
Caça-palavras sobre o Sistema Solar com tampinhas de refrigerantes - Foto: Divulgação
slide
Caixa das fases da Lua - Foto: Divulgação
slide
Monitores e público brincam com jogos, durante a reunião da SPBC - Foto: Divulgação
slide
Exposição permanente de experimentos e maquetes do projeto no Laboratório de Desenvolvimento de Recursos Didáticos - Foto: Divulgação
slide
Professor Luis Piassi lança foguete de garrafa pet - Foto: Divulgação
slide
A Banca recebe professores da rede pública de Guarulhos e fala sobre o Sistema Sol-Terra-Lua - Foto: Divulgação
slide
Ricardo Lacerda demonstra a primeira lâmpada elétrica da história, a lâmpada de Humphry Davy - Foto: Divulgação
slide
Alunos do Ensino Fundamental visita, o Laboratório de Desenvolvimento em Recursos Didáticos da EACH. Grupo observa o funcionamento da Lâmpada de Humphry Davy - Foto: Divulgação
Prev
Next

Como agendar

O agendamento pode ser feito pessoalmente de segunda a quinta, das 9 às 17 horas, no Laboratório de Desenvolvimento de Recursos Didáticos em Ciências da Natureza da EACH (rua Arlindo Béttio, 1000 – Ermelino Matarazzo, São Paulo), localizado no Edifício A2 – térreo, sala T-08. Também é possível realizar o agendamento pelo email bancadaciencia.each@gmail.com ou pelo telefone (11) 3091-8192.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados