Alunos se reúnem para ensinar matemática e despertar sonhos

Projeto social de estudantes da USP, o Matemática em Movimento atende jovens da rede pública de ensino

Por - Editorias: Extensão
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail
20170111_03_matemática
Alunos do projeto em aula que aliou tecnologia ao ensino da matemática, feito em parceria com a empresa Alugando Tablet – Fonte: Reprodução Facebook

.

A matemática está presente em nosso cotidiano de várias formas: desde as contas mais simples que fazemos ao realizar uma compra no mercado até a construção do lugar onde moramos e trabalhamos. Mesmo fundamental em muitas áreas do conhecimento, o ensino da disciplina no ensino médio enfrenta resistência de parte dos estudantes, exigindo dos professores um esforço constante em apresentar os princípios dessa ciência de forma interessante e conectada à realidade. 

20170111_00_matemáticaExistem diversas iniciativas nesse sentido – uma delas é o Matemática em Movimento (MM), criado por estudantes da Escola Politécnica (Poli) da USP em 2012. O propósito deste projeto social é aprofundar o conhecimento em matemática de jovens da rede pública de ensino. Mais do que a matemática básica que é ensinada no colégio, o MM propõe desafios de raciocínio, atividades culturais e outros eventos a fim de motivar o aprendizado e dar maior dinamismo às aulas. E tudo isso gratuitamente.

No começo, eram apenas sete voluntários dispostos a compartilhar seu conhecimento. Hoje, o MM se organiza em torno de 84 pessoas, a maioria estudantes da Poli, mas também de outras unidades da USP ou já formados, que ajudam no projeto desempenhando funções como professores, coordenadores, diretores pedagógicos e presidência.
.

20170111_01_matemática
Uma das turmas do Matemática em Movimento – Foto Reprodução Facebook

.
O Matemática em Movimento funciona aos sábados, com aulas das 9h30 às 12h30, na escola municipal General De Gaulle, no bairro Jardim Ibirapuera, na zona sul da cidade de São Paulo. O público-alvo do MM são estudantes do 9º ano do ensino fundamental até o 3º do ensino médio de escolas públicas. No ano passado, foram atendidos cerca de cem alunos. Eles são divididos por turmas e cada uma delas conta com a presença de três professores para o ensino e auxílio aos alunos.

O projeto ainda disponibiliza um kit para os novos alunos, com camiseta, caderno, lápis, caneta, borracha, estojo e régua. Eles ainda recebem um lanche. O custo anual de um aluno é de cerca de R$ 140. Quem quiser contribuir com doações pode acessar o site do Matemática em Movimento..

Expansão

O atual presidente, Bruno Ribeiro, aluno do curso de Geologia, do Instituto de Geociências (IGc) da USP, integra o Matemática em Movimento desde quando o projeto ainda estava engatinhando. Um dos planos para este ano, conta, é ampliar o número de jovens atendidos e a quantidade de professores por sala de aula.

Além da escola na zona sul, em 2017, os atendimentos também ocorrerão na escola estadual Alberto Torres, localizada no Butantã, zona oeste de São Paulo. O Matemática em Movimento pretende atender 140 alunos nas duas unidades e ampliar para quatro o número de professores por turma.

“Quanto maior a atenção que damos ao aluno, melhor é o seu aprendizado, por isso trabalhamos com turmas menores e três professores em sala de aula, número que queremos aumentar. Como nossos alunos são de escola pública, existe uma certa defasagem em relação à realidade de muitos de nós (universitários), então é preciso saber como realizar esse trabalho de aproximação”, disse Ribeiro.
.

20170111_04_matemática
Voluntários e estudantes que participam do Matemática em Movimento – Foto: Reprodução Facebook

.
Segundo o presidente do MM, os alunos são estimulados a concorrer nos vestibulares, inclusive o da Fuvest, que permite o ingresso na USP. “Sabemos que para muitos deles a universidade é uma outra realidade e o nosso papel é justamente mostrar a esses estudantes que eles têm a capacidade de entrar no ensino superior, particular ou público”, explica Ribeiro.

O projeto tem como missão também auxiliar no crescimento pessoal dos envolvidos. “Acreditamos que nosso papel não se limita a ensinar matemática aos alunos, mas poder auxiliá-los pessoalmente com problemas diversos que possam aparecer no seu ensino ou em casa”, explica.

O Matemática em Movimento é um projeto social e voluntário. Interessados em contribuir na organização ou em aulas podem se inscrever nesse endereço eletrônico. Já os estudantes de escola pública que queiram participar do projeto, podem se inscrever aqui.

Confira no vídeo abaixo um pouco mais sobre o projeto:

 

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados