Escola de Pesquisadores ajuda desenvolver habilidades da vida científica

Realizada na USP em São Carlos, evento contou com a participação de 240 pessoas

Por - Editorias: Universidade
Público durante a segunda Escola de Pesquisadores – Foto: Assessoria IFSC

Desenvolver, aprimorar e consolidar as habilidades necessárias à vida científica de pesquisadores em ciência básica e aplicada. Esses foram os objetivos da segunda Escola de Pesquisadores do Campus USP de São Carlos, realizado entre os dias 9 e 10 de maio. Cerca de 240 pessoas participaram, entre alunos de pós-graduação, pós-doutorado, técnicos de nível superior e professores pesquisadores, com uma abrangência temática voltada para todas as áreas do conhecimento, incluindo ciências exatas, engenharias, biológicas, biomédicas e humanas/sociais.

O evento foi organizado pela Comissão do Portal da Escrita Científica da USP, em São Carlos, presidida pelo professor Valtencir Zucolotto, do Instituto de Física de São Carlos (IFSC), com o apoio das equipes das bibliotecas do campus.

“Realmente, foi muito importante observar e sentir que a audiência ficou surpresa ao ver que suas numerosas dúvidas, ansiedades e outros problemas que norteiam a vida dos pesquisadores, principalmente dos mais novos, foram colocadas em discussão, sem tabus, bem como as respostas e os apoios que vieram dos palestrantes convidados. Foi um diálogo constante e isso foi muito importante para todos nós”, destaca o professor.

De acordo com o Zucolotto, a proposta da Escola de Pesquisadores tem origem na Semana da Escrita Científica e busca a pesquisa de alto nível, com a transformação dos resultados de trabalhos dos cientistas em publicação de bons artigos. Ele considera que tudo isso foi contemplado no evento motivo pelo qual gerou um enorme sucesso.

Professor Valtencir Zucolotto – Foto: Assessoria IFSC

“Temos uma plataforma bem estruturada – Portal da Escrita Científica do Campus USP São Carlos -, com uma comissão muito bem escolhida. Daí que o esforço conjunto, a excelência dos palestrantes e principalmente a resposta do público, que entendeu a importância da proposta, contribuiu para algo que irá ficar na nossa memória”, sublinha o professor.

Para as próximas edições da Escola de Pesquisadores, Zucolotto pretende contar com mais apoios na área logística como, por exemplo, congregar alguns convênios com restaurantes e hotéis da cidade e que se localizem próximo ao campus. Assim, os participantes terão mais facilidades na sua estadia em São Carlos.

Entre o público estavam pesquisadores do Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina e de muitas cidades do interior do Estado de São Paulo. “Se cuidarmos dessa logística, se conseguirmos apoios da USP, nomeadamente da Pró-Reitoria de Pesquisa, podemos abrilhantar ainda mais este evento, que, pela sua dimensão e abrangência, equivale já a um congresso”, pontua Zucolotto.

Ele adiantou que existe a possibilidade de transformar a Escola em um evento itinerante, não só em outras unidades da USP, como em outros estabelecimentos de ensino superior.

Escrita científica

Apesar dos esforços de aprimorar e consolidar as habilidades necessárias à vida científica dos pesquisadores, ainda existem alguns “gaps” dos jovens pesquisadores em comparação aos seus pares internacionais em algumas áreas.

Para Zucolotto,  a questão mais importante é trazer o conhecimento gerado na forma de publicações científicas de altíssimo nível, embora se continue a ter algumas dificuldades quando a intenção é escrever artigos científicos no idioma inglês, o que, em contraponto, não é um problema crucial

Rui Sintra/ Assessoria de Comunicação do IFSC

Textos relacionados