Crianças recebem iniciação esportiva na USP em Ribeirão Preto

Projeto estimula iniciação esportiva e desenvolvimento social de crianças da periferia da cidade

Por - Editorias: Universidade, Extensão
Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

 

Foto: Divulgação/EEFERP-USP
Foto: Divulgação/EEFERP-USP

No dia 20 de setembro foram recebidas crianças do projeto Bom de bola, bom de nota, no ginásio poliesportivo da Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto (EEFERP) da USP.

Esse foi o primeiro encontro do Jogando no Campus, uma parceria da EEFERP, o Centro de Pesquisas em Doenças Inflamatórias (Crid, sigla em inglês) da USP e a Pró-Esporte e Cultura.

O projeto consiste em oferecer atividades de iniciação esportiva para crianças de 6 a 12 anos de idade. Matriculadas em escolas públicas da periferia de Ribeirão Preto, elas se envolvem em diferentes modalidades esportivas, mas “com caráter lúdico e recreativo, de forma a priorizar aspectos como o controle motor, a aprendizagem motora e a sociabilização”, informa Hugo Tourinho Filho, professor da EEFERP e um dos coordenadores do projeto.

A execução das atividades se dá por meio da aproximação com o Bom de bola, bom de nota, desenvolvido pela Associação Pró-Esporte e Cultura, uma associação civil sem fins lucrativos, que possui projetos sociais de cunho esportivo e cultural voltados a beneficiar crianças e adolescentes em vulnerabilidade social.

Jovens durante atividade do projeto no campus de Ribeirão Preto - Foto: Divulgação
Jovens durante atividade do projeto no campus de Ribeirão Preto – Foto: Divulgação

As aulas são ministrada por professores da EEFERP, acompanhados por estudantes de graduação que estão cursando disciplinas voltadas a exercícios para a infância, promovendo “melhor formação aos discentes da USP”, segundo Tourinho Filho. Já para as crianças, “é uma oportunidade de aprender técnicas desportivas, desenvolver capacidades físicas (coordenação, velocidade e flexibilidade) e também de pensamento tático e socialização”.

O professor lembra ainda que esses aspectos influenciam positivamente o processo ensino-aprendizagem e estimulam o desenvolvimento de habilidades básicas para futuras especializações.

Eles tornaram possível que os alunos da EEFERP vivenciassem a possibilidade de desenvolver algumas aulas diretamente com crianças da faixa etária alvo, fato que enriquece a formação dos discentes.

Mais informações: emails juan.azevedo@usp.brtourinho@usp.br

Com informações do Serviço de Comunicação Social do Campus de Ribeirão Preto

 

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados