Parceria aprimora comunicação de projetos de pesquisa em inglês

Pró-Reitoria de Pesquisa articulou programa para desenvolver habilidade de comunicação de pesquisadores da USP

Por - Editorias: Comunidade USP
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail
Foto: PRP/USP
Professores da USP que participaram do programa Researcher Connect – Foto: PRP/USP

.

Uma série de cursos de curta duração para desenvolver habilidades em comunicação em inglês voltados a pesquisadores de qualquer formação acadêmica em contextos internacionais e multiculturais. Essa é a proposta do programa Researcher Connect, uma iniciativa do British Council realizada no Brasil com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

Neste ano, ocorreu a segunda edição do programa que lança chamadas para instituições de ensino superior oferecerem aulas em inglês, nas quais os participantes aprendem técnicas para se comunicar melhor no idioma em diversas situações: apresentações orais, escrita acadêmica, publicação de artigos em periódicos internacionais, propostas de projetos, elaboração de abstracts, entre outros.

Entre os dias 8 e 10 de fevereiro, foi a vez da USP receber um desses cursos do Researcher Connect para 25 professores da Universidade. A atividade foi promovida pela Pró-Reitoria de Pesquisa (PRP) e a ideia é que esses docentes repliquem as novas técnicas apreendidas em workshops em suas respectivas unidades de ensino.

Durante três dias, os professores selecionados aprimoraram práticas em terminologia, referências, construção de sumários, submissão de propostas e apresentações acadêmicas.

Foto: PRP/USP
O pró-reitor de Pesquisa, José Eduardo Krieger, na apresentação do Researcher Connect – Foto: PRP/USP

A instrutora Jodi Nelson-Tabor, que trabalhou com o grupo da USP, ressalta que “ser capaz de se comunicar em inglês permitirá aos docentes realizar mais colaborações com pesquisadores de fora do Brasil, além de publicarem mais pesquisas em inglês e comparecer a conferências acadêmicas, o que os ajuda a serem mais citados e terem maior visibilidade em seus projetos”.

Referindo-se à turma de professores da USP com quem trabalhou nesta edição do programa, a instrutora relatou que, devido à boa proficiência em língua inglesa e ao engajamento do grupo, a comunicação e colaboração entre os participantes foi bastante fácil, fazendo com que os desafios apresentados durante o curso fossem transpostos com fluidez.

O curso não focou apenas nas boas práticas de comunicação, também se preocupou com o uso de novas tecnologias úteis e de fácil aplicação no ambiente acadêmico.

Da Assessoria de Comunicação da Pró-Reitoria de Pesquisa

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados