Aluna lança financiamento coletivo para desenvolver pesquisa nos EUA

Estudante de iniciação científica da USP em São Carlos pesquisa sobre técnicas de melhorias de gestão de hospitais

Por - Editorias: Universidade
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Reprodução do vídeo de apresentação do projeto de Raquel Yoshida – Foto: Reprodução YouTube

A estudante de iniciação científica Raquel Yoshida, em conjunto com outros alunos de graduação e pós-graduação de Engenharia de Produção da Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) da USP, desenvolve uma pesquisa relacionada à aplicação de técnicas de melhoria de qualidade em hospitais chamadas Lean Healthcare e Six Sigma. Ela tem a possibilidade de realizar parte das pesquisas na Universidade de Bentley, em Massachusetts, nos Estados Unidos, e para isso está com uma campanha de financiamento aberta até 30 de maio.

A motivação para o trabalho surgiu do fato de que, embora muitas carências do sistema de saúde brasileiro sejam associadas ao financiamento insuficiente do setor, elas também ocorrem devido às deficiências de gestão. A melhor solução nem sempre é aumentar o repasse de recursos, mas melhorar ou alterar a maneira como eles são geridos.

Com o objetivo de trazer contribuições para o sistema de saúde brasileiro, Raquel planeja realizar pesquisas de campo em um ou mais hospitais de Boston, capital de Massachusetts. A cidade concentra alguns dos melhores hospitais norte-americanos e do mundo, além de ser referência em pesquisas sobre o Lean Healthcare, do Six Sigma e de técnicas ainda melhores e mais sofisticadas.
Seguindo sugestões da Fapesp, a pesquisadora lançou seu projeto na plataforma de crowdfunding Catarse e busca obter financiamento para sua pesquisa no exterior. Para mais informações sobre opções de doação, visite o link da plataforma.
O estágio terá um mês de duração – julho de 2018 – e ocorrerá por meio do convênio internacional de cooperação acadêmica estabelecido entre a EESC e a Universidade de Bentley, em 2017.
A pesquisa da Raquel é orientada pelos professores da EESC, Mateus Gerolamo e Kleber Esposto, e conta também com a participação da professora Jeanne Michel, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), que realiza seu pós-doutorado no Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção da USP em São Carlos.
Desde o início da investigação, em 2015, os pesquisadores envolvidos contaram com o apoio do professor da Universidade de Bentley, em Massachusetts, EUA, Mark Davis – uma das referências na área de gestão de operações e de serviços. Juntos, eles têm estudado os desafios do setor de saúde quanto à melhoria de desempenho de suas operações.
Em um primeiro momento, foi verificado o uso de ferramentas de Lean e Six Sigma com base em uma análise conduzida por meio de revisão bibliográfica Sistemática. Posteriormente, estudou-se a possibilidade dessas técnicas serem uma solução para problemas de gestão de recursos enfrentados por hospitais públicos e filantrópicos brasileiros a partir de um estudo de caso, no qual foi possível concluir que o Lean foi efetivo no hospital estudado e que ainda possui grande potencial de exploração no contexto da gestão da qualidade.
Em 2018, iniciou-se um projeto de implementação de Lean e Six Sigma, num hospital da região de São Carlos, com o objetivo de criar um modelo que facilite futuras aplicações em outras unidades de saúde que também queiram alcançar melhorias. Sabendo que essas técnicas não são comuns no Brasil, o desafio é entender por que isso ocorre e desvendar maneiras de tornar esses métodos de gestão mais comuns e acessíveis.
Saiba mais sobre o projeto conferindo o vídeo no YouTube:.
Da Assessoria de Comunicação da EESC
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados