Colunista avalia impasse político na troca de liderança do Mercosul

A Venezuela tem até o dia 12 para cumprir as metas do protocolo de adesão ao bloco, assinado em 2006. Caso contrário, a Argentina assume a presidência

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Ouça na íntegra a coluna “Diplomacia e Interesse Nacional”, do embaixador Rubens Barbosa:

logo_radiousp790px

Foto: Portal Brasil
Foto: Portal Brasil

O Mercosul está paralisado do ponto de vista das negociações comerciais e agora entra numa disputa pela transferência da presidência, o que dificulta ainda mais o avanço do bloco. A Venezuela seria o próximo país a assumir a presidência do grupo, com o término da liderança uruguaia ontem (1º/8), mas os outros quatro países que formam o Mercosul não entraram em um acordo sobre a sucessão.

O Brasil e o Paraguai não querem transferir a presidência do grupo para a Venezuela sem que o país cumpra os itens negociados, que envolvem medidas de caráter econômico e político. Se o protocolo de 2006 não for cumprido até o dia 12, a Argentina assume a presidência do bloco.

Pelo acordo, a transferência da presidência é feita por ordem alfabética. Desta maneira, a Argentina é sucessora direta da Venezuela.

.

.

 

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados