Ribeirão Preto inaugura prédio do Centro de Camundongos Especiais

O novo prédio tem 500 metros quadrados e abriga 120 mil animais de 85 linhagens de camundongos transgênicos

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail
O novo prédio possui 500 metros quadrados

No dia 5 de maio, o reitor Marco Antonio Zago inaugurou o novo prédio do Centro de Criação de Camundongos Especiais (CCCE), ligado à Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP).

Também participaram da cerimônia a diretora da FMRP, Margaret de Castro; o vice-diretor da Unidade, Rui Alberto Ferriani; o coordenador do CCCE e professor da Faculdade, João Santana da Silva; o prefeito do Campus de Ribeirão Preto, Américo Ceiki Sakamoto; o superintendente do Hospital das Clínicas da FMRP, Benedito Carlos Maciel, além de pesquisadores, docentes e servidores técnicos e administrativos.

“A disponibilidade de animais para experimentos é fundamental. Acompanho a história dos biotérios na USP há muito tempo, desde quando o fato de criar animais com qualidade ainda era um sonho. Foi aí que surgiu o programa de biotérios da Universidade, cujo objetivo fundamental era fornecer ratos e camundongos em quantidade e com qualidade. E isso deu certo”, afirmou o reitor no evento.

A diretora da FMRP, Margaret de Castro, lembrou do trabalhos de vários diretores, prefeitos e pesquisadores para a criação do biotério, que possibilita o desenvolvimento de pesquisas que a ciência precisa, com competitividade internacional.

Atualmente, o Centro mantém 85 linhagens de camundongos transgênicos e knockouts

O Centro foi criado no ano de 2000 para atender à demanda da Universidade por camundongos sanitariamente definidos e estava instalado em uma área de 180 metros quadrados. Em 2008, passou por uma adequação para receber estantes ventiladas, que permitem um controle mais eficiente do padrão sanitário dos animais.  Em dezembro de 2016, foi iniciada a transferência do Centro para o novo prédio, que tem área total de 500 metros quadrados.

Desde 2012, o CCCE faz parte da Rede de Biotérios da USP, que tem como finalidade suprir as demandas de animais de experimentação da Universidade e outras instituições de pesquisa. Atualmente, mantém 85 linhagens de camundongos transgênicos e knockouts [linhagens de camundongos nos quais certos genes foram desabilitados e que são usados como modelos de animal experimental para estudar doenças e elucidar as funções dos genes] e 120 mil animais.

O novo prédio do Centro está localizado na Rua do Biotério, junto ao Serviço de Biotério da Prefeitura do Campus de Ribeirão Preto (Av. Bandeirantes, 3900, em Ribeirão Preto).

(Fotos: Gabriel Girardi Soares)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados