Representantes da OEA e do governo de Honduras visitam a Reitoria

A visita encerrou a reunião preparatória para o primeiro curso de capacitação policial, iniciativa da Organização dos Estados Americanos (OEA)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

A diretora do Departamento de Segurança Pública da Secretaria de Segurança Multidimensional da Organização dos Estados Americanos (OEA), Paulina Duarte, e a vice-ministra de Segurança de Honduras, Alejandra Hernández, visitaram o prédio da Reitoria na tarde de hoje, dia 13 de julho, e foram recebidas pelo reitor Marco Antonio Zago.

Também estavam presentes na visita o presidente da Agência USP de Cooperação Acadêmica Nacional e Internacional (Aucani), Raul Machado Neto, e o vice-diretor do Instituto de Relações Internacionais (IRI), Amâncio Jorge Silva Nunes de Oliveira.

A visita encerrou a Reunião Técnica Preparatória para o Primeiro Curso Presencial de Capacitação Policial, realizada entre os dias 12 e 13 de julho no Auditório do Centro de Difusão Internacional da USP (CDI), e que contou com a participação de representantes da USP, da Universidade de Buenos Aires (Argentina), da Universidade de Georgetown (EUA) e das polícias federais do Brasil, México e Honduras.

O evento foi uma preparação para o Primeiro Curso Presencial de Capacitação Policial, organizado pela Rede Interamericana de Desenvolvimento e Capacitação Policial da OEA, que será realizado de 11 de setembro a 11 de outubro deste ano, em Honduras. O curso tem os objetivos de capacitar policiais de todo o continente, promover seminários regionais em prol da cooperação internacional e construir uma rede de intercâmbio de experiências e informações.

Segundo o professor do IRI, Leandro Piquet Carneiro, “a USP faz parte do grupo acadêmico responsável pela produção de material didático e pela seleção de professores para um curso que será o primeiro a estabelecer uma relação horizontal entre as polícias dos países americanos e com as demais instituições da região”.

“Esse curso é uma iniciativa na qual não só a Universidade ajuda na produção de conhecimento para a polícia, mas também recebe contribuições de pesquisadores que tiveram formação policial e dedicaram parte de sua vida a essas instituições”, explica Piquet.

(A partir da esquerda) Piquet, Alejandra, Zago, Paulina, Machado e Oliveira. Foto: Erika Yamamoto
Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados