USP sobe duas posições no National Taiwan University Ranking

A USP foi a universidade latino-americana mais bem classificada, ocupando a 56ª posição. O ranking avalia e classifica a produção científica de 500 universidades no mundo todo.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

A USP subiu duas posições no Performance Ranking of Scientific Papers for World Universities 2016 (também conhecido como NTU Ranking), divulgado pela National Taiwan University, no dia 10 de outubro. A USP foi a universidade latino-americana mais bem classificada, ocupando a 56ª posição.

ranking avalia e classifica a produção científica de 500 universidades no mundo todo, tendo como base três importantes critérios: produtividade (que representa até 25% da pontuação), impacto (35%) e excelência da pesquisa (40%). O sistema de classificação foi desenvolvido para avaliar o desempenho acadêmico de universidades e dimensionar suas conquistas no que tange à produção científica, comparando a qualidade e a quantidade das pesquisas produzidas. A seleção das universidades é feita a partir da base de dados do Essential Science Indicators (ESI).

Outras cinco universidades brasileiras foram classificadas no ranking geral: a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), classificada em 309º; a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), em 320º lugar; a Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp), em 346º; a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em 417º; e a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em 456º.

Nesse ranking, que também avalia as instituições por área do conhecimento, a USP manteve-se entre as 200 melhores nos seis campos avaliados. Em três deles, a Universidade subiu posições: em Ciências da Vida, subiu da 63ª para a 50ª posição; em Medicina, passou do 75º para o 74º lugar; e em Ciências Sociais, avançou da 152ª para a 139ª classificação.

Nas outras áreas, a USP apresentou ligeira queda: em Agricultura, caiu duas posições, passando da 17ª para a 19ª; em Ciências Naturais, passou da 64ª para a 80ª classificação; e, em Engenharia, caiu do 136º para o 157º lugar.

Na avaliação por áreas de concentração, a Universidade sobressaiu nos 14 itens considerados: Ciências Agrícolas (na 7ª posição), Ciência Animal (16ª), Matemática (31ª), Farmacologia e Toxicologia (22ª), Engenharia Química (100ª), Ecologia e Meio Ambiente (55ª), Química (92ª), Física (111ª), Geociências (96ª), Ciência da Computação (134ª), Engenharia Mecânica  (128ª), Ciência de Materiais (152ª), Engenharia Elétrica (204ª) e Engenharia Civil (159ª). Em todas as áreas avaliadas, tanto nas gerais quanto nas específicas, a USP foi classificada como a melhor universidade brasileira.

Mais informações podem ser obtidas no site do ranking.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados