Universidade e Ministério Italiano assinam convênio sobre energias renováveis

Este convênio prevê a implementação de um projeto piloto para o desenvolvimento de tecnologias inovadoras com o emprego de energia solar.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

O convênio prevê a realização de projetos direcionados à melhoria da eficiência energética e uso de energias renováveis

A Universidade e o Ministério do Meio Ambiente, da Tutela do Território e do Mar da Itália assinaram um convênio para a implementação de um projeto piloto para o desenvolvimento de tecnologias inovadoras com o emprego de energia solar, em cerimônia realizada no dia 12 de maio, na Reitoria, presidida pelo vice-reitor Vahan Agopyan e pelo professor emérito José Goldemberg, especialista em energia e colaborador sênior no Instituto de Energia e Ambiente (IEE), e reitor de 1986-1990.

O vice-reitor Vahan Agopyan e o especialista em energia, José Goldemberg (o terceiro da esq. p/ dir.) observam o diretor-geral do Ministério Italiano, Corrado Clini, assinar convênio

Através deste projeto piloto será implantado na USP um equipamento demonstrativo com tecnologia solar termodinâmica de concentração para a produção de vapor, com a participação de empresas italianas com competência específica a serviço da estrutura da Universidade.

A implantação deste projeto piloto compreende o fornecimento: das tecnologias relacionadas a tecnologia solar termodinâmica, dos queimadores de gás para a sua hibridação e dos filtros e de um sistema de supervisão para o monitoramento remoto; a realização das obras civis necessárias; a ligação à rede elétrica da concessionária de energia; a colocação em funcionamento; e a capacitação da equipe dedicada ao funcionamento e manutenção.

Este convênio conta com a mediação do Fórum das Américas e tem a finalidade de implementar o protocolo de intenção já firmado anteriormente entre a Secretaria de Energia do Estado de São Paulo e o Ministério Italiano para a promoção de energia sustentável, com início em 19 de junho de 2012 e com sucessivas determinações em 3 de outubro e 10 de dezembro de 2013.

O Ministério Italiano cofinancia o projeto piloto através do fornecimento dos equipamentos e das atividades descritas acima, e a Universidade será responsável por assegurar o espaço necessário e os serviços administrativos, tecnológicos, energéticos e infraestrutura de facilidades necessários para sua instalação e operação que, inicialmente, está previsto para ser instalado nas dependências da Prefeitura do Campus da Capital (PUSP-C), na Cidade Universitária, São Paulo. Depois de instalados, os equipamentos do projeto serão doados à USP e poderão ser utilizados para realizar atividades de pesquisa, experimentação e didática.

Além dos signatários do projeto, vários especialistas da área de energia da Universidade reuniram-se para a formalização do convênio

O convênio terá a duração de cinco anos, podendo ser renovado por igual período e terá um comitê de coordenação presidido pelo professor da Escola Politécnica, José Roberto Simões Moreira, e pelo diretor-geral do Ministério, Corrado Clini, que terá também a participação de especialistas científicos da Escola Politécnica (Poli) e do Politécnico de Milano (Polimi) – que possui atualmente dois convênios de cooperação internacional com a USP.

Pela USP, participaram da reunião e também das discussões para a implementação do projeto, os diretores da Poli e do Instituto de Química, respectivamente, José Roberto Castilho Piqueira e Luiz Henrique Catalani; o assistente da PUSP-C, Claudio Tervydis; o professor do Departamento de Engenharia de Energia e Automação Elétrica, José Aquiles Baesso Grimoni; e representando o Fórum das Américas, estava Mario Spadari.

(Fotos: Ernani Coimbra)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados