USP e Comissão Fulbright criam cátedra na área de relações internacionais

A Cátedra, que será sediada no Instituto de Relações Internacionais (IRI) da Universidade, oferecerá apoio à participação de acadêmicos norte-americanos, atuando em instituições dos Estados Unidos, em atividades de docência e pesquisas na área de relações internacionais.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail
O reitor Marco Antonio Zago e a embaixadora dos Estados Unidos no Brasil, Liliana Ayalde, assinam o documento

A Universidade de São Paulo (USP) e a Comissão Fulbright para o Intercâmbio Educacional entre Estados Unidos e Brasil assinaram nesta quarta-feira, 22 de abril, um memorando de entendimento para a criação da Cátedra Fulbright – USP em Relações Internacionais.

A Cátedra, que será sediada no Instituto de Relações Internacionais (IRI) da Universidade, oferecerá apoio à participação de acadêmicos norte-americanos, atuando em instituições dos Estados Unidos, em atividades de docência e pesquisas na área de relações internacionais.

A cada ano, um acadêmico norte-americano – professor ou pesquisador visitante – participará, no período de até quatro meses, de atividades de docência e pesquisa no IRI em determinada área temática. O acadêmico também poderá ministrar seminários, palestras, cursos e seminários avançados na USP e em outras instituições de ensino superior brasileiras.

A seleção do bolsista, que receberá recursos para viagem e estadia da Comissão Fulbright, será feita por meio de edital específico de chamada de propostas. O início das atividades está previsto para o segundo semestre de 2016. O memorando de entendimento tem vigência de cinco anos.

Fundado em 1946, o Fulbright é o principal programa de intercâmbio educacional internacional patrocinado pelo governo dos Estados Unidos e foi desenvolvido para aprofundar o conhecimento mútuo entre norte-americanos e povos de outros países. Aproximadamente 325.400 bolsistas da Fulbright – 122.800 dos Estados Unidos e 202.600 de outros países, incluindo 3.000 do Brasil – já participaram do programa desde a sua criação, há mais de 60 anos. Anualmente, a Comissão Fulbright concede cerca de oito mil bolsas, em mais de 155 países.

“Nossa cooperação na área da educação contribui diretamente em muitas frentes – da pesquisa conjunta entre nossos professores e instituições à vibrante parceria institucional e, principalmente, à forte conexão entre os nossos povos. No longo prazo, isso se traduz em prosperidade econômica e, simplesmente, num melhor futuro para os nossos cidadãos”, disse a embaixadora dos Estados Unidos no Brasil, Liliana Ayalde, presidente honorária da Comissão Fulbright no Brasil.

“Os Estados Unidos representam o mais importante parceiro da USP em publicações científicas, tanto em termos de qualidade, quanto em quantidade. Esse acordo representa um grande passo e a consolidação da intensa colaboração entre a Universidade e as instituições norte-americanas”, destacou o reitor da USP, Marco Antonio Zago.

Segundo o diretor do Instituto de Relações Internacionais da USP, Pedro Bohomoletz de Abreu Dallari, a Cátedra permitirá ao Instituto a criação de um núcleo de apoio à pesquisa voltado ao estudo interdisciplinar da sociedade e do Estado norte-americano e será um instrumento para sistematizar as pesquisas da Universidade nessa área.

A cerimônia de assinatura do memorando foi realizada no Salão de Atos, no prédio da Reitoria, e contou com a presença de dirigentes da Universidade e representantes do corpo consular norte-americano.

(Foto: Ernani Coimbra)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados