Rede promove a parceria internacional entre pesquisadores

Em março, a USP foi sede da reunião da UGPN, rede de universidades que tem como objetivo o intercâmbio de pesquisadores e a colaboração no desenvolvimento de pesquisas sobre temas de interesse global.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Entre os dias 19 e 22 de março, a USP sediou a terceira reunião da University Global Partnership Network (UGPN), uma rede de universidades que tem como objetivo o intercâmbio de pesquisadores e a colaboração no desenvolvimento de pesquisas relacionadas a temas de interesse global.

Com o propósito de incentivar a integração entre os pesquisadores das três universidades parceiras – a USP, a University of Surrey, do Reino Unido, e a North Carolina State University (NCS), dos Estados Unidos –, o encontro foi o maior já realizado pela UGPN e trouxe ao Brasil mais de 40 representantes, britânicos e americanos, para conhecer a infraestrutura e a pesquisa desenvolvida na USP.

Da esquerda para a direita: David Dixon, membro do Comitê Executivo da UGPN; os vice-reitores de Relações Internacionais Bailian Li, da North Carolina State University; Adnei Melges de Andrade, da USP; e Colin Grant, da University of Surrey

Embora as atividades da rede estejam apenas começando, o tamanho das delegações e o interesse despertado em instituições como a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) provam que a UGPN tem ganhado visibilidade na comunidade acadêmica.

Durante os quatro dias de visita, as delegações tiveram a oportunidade de participar de seminários e workshops, além de visitar diversas Unidades da Universidade – inclusive nos campi de São Carlos e Pirassununga. O evento central da reunião foi o Festival de Pesquisa, realizado no dia 20, nas dependências da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA).

O Festival reuniu pesquisadores das três universidades, em sessões simultâneas que abordaram seis grandes áreas de pesquisa: Engenharia; Matemática, Química e Física; Saúde; Veterinária; Sustentabilidade e Governança Corporativa; e Humanidades. Nessas sessões, os especialistas tiveram a oportunidade de discutir projetos conjuntos de pesquisa, mobilidade estudantil, inovações nos métodos de ensino e transferência de conhecimento.

Para encerrar o encontro, foi anunciada, na cerimônia que aconteceu no dia 22, no Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG), a vencedora do concurso para a escolha do logotipo oficial da UGPN. Por ter criado o design vencedor, Chantell LaPan, aluna de pós-graduação da North Carolina State University, foi agraciada com uma viagem para conhecer uma das instituições parceiras, a USP ou a University of Surrey.

Fundo de Colaboração de Pesquisa

O Fundo de Colaboração de Pesquisa é a primeira ação desenvolvida pela UGPN. Constituído pelas contribuições das três universidades, o fundo distribuirá, no total, U$ 180 mil a 18 projetos de pesquisa. Em virtude das novas parcerias que surgiram a partir do encontro realizado em março, a UGPN decidiu prorrogar as inscrições para os projetos interessados. Agora, os pesquisadores têm até o dia 16 de abril para submeterem suas propostas, o que pode ser feito por meio da UGPN (o edital completo está disponível no site da rede).

A cerimônia de abertura contou com a performance do pianista Shelley Katz, pesquisador de Surrey. A UGPN não se limita a um área específica e incentiva, inclusive, pesquisas relacionadas às artes

O apoio de U$ 10 mil permitirá que pesquisadores e alunos de Doutorado envolvidos na pesquisa realizem visitas às outras universidades e aumentem a sinergia com seus colegas. Com isso, a rede espera aumentar a cooperação entre os pesquisadores, incentivando iniciativas como a realização de workshops, seminários, palestras, parcerias com empresas, redação de artigos científicos com os resultados da pesquisa, criação e manutenção de websites para facilitar a disseminação de resultados, entre outras.

Além disso, a ideia é que esse apoio inicial dê origem a um projeto de pesquisa de caráter colaborativo ainda mais ambicioso, fornecendo dados que fundamentem propostas a serem apresentadas às agências de financiamento e à iniciativa privada.

Para concorrer, o projeto deverá ter um planejamento a ser concluído em até um ano e envolver pesquisadores de, pelo menos, duas das três universidades parceiras. Um comitê especializado avaliará as propostas e divulgará o resultado até o final de junho.

UGPN – Rede Acadêmica Internacional

Lançada em setembro de 2011, a University Global Partnership Network (UGPN) é uma rede formada pela USP, University of Surrey e North Carolina State University, com a missão de incentivar a cooperação internacional, desenvolver uma pesquisa de impacto global, criar meios para a transferência do conhecimento em benefício da sociedade e oferecer experiência internacional aos alunos das universidades parceiras.

O logo vencedor (à esquerda) foi desenvolvido por Chantell LaPan, aluna de pós-graduação da North Carolina State University. Os outros finalistas foram (de cima para baixo): Catarina Yu Na Kim (ECA/USP); Tales Henrique dos Santos Buonarotti Ferreira (FEARP/USP); Matthew Brown (University of Surrey); Gabriel Negri Nilson (FAU/USP)

“A UGPN proporcionará o aumento da mobilidade entre os estudantes e pesquisadores e, no futuro, o aluno poderá iniciar sua pós-graduação em Carolina do Norte, fazer créditos em São Paulo e terminar o curso em Surrey”, afirma Colin Grant, vice-reitor de Relações Internacionais da University of Surrey e atual presidente da rede.

Seu colega dos Estados Unidos, Bailian Li, reforça a ideia de que, em breve, outras universidades serão convidadas a fazer parte da rede. “Desde que essas instituições estejam em sintonia com a proposta de colaboração e desenvolvimento de pesquisa em áreas de relevância social, características da UGPN”, alerta.

Por ser a USP a única parceira a não ter o inglês como idioma corrente, a língua portuguesa é uma questão a ser levada em consideração. Tanto Surrey quanto a NCS têm tomado medidas para aumentar a oferta de cursos de português em suas instituições, fazendo parcerias com consulados brasileiros e desenvolvendo cursos on-line. Os dois vice-reitores concordam que a participação da USP é muito enriquecedora já que proporciona um contato com a cultura, com os pesquisadores brasileiros e com uma maneira diferente de fazer ciência.

“Em diferentes culturas, temos diferentes soluções para os mesmos problemas. Com a UGPN, ganhamos sinergia, ganhamos oportunidades de conhecer outros países e, em alguns casos, podemos nos beneficiar utilizando equipamentos e laboratórios diferentes, melhorando os resultados de nossas pesquisas”, conclui o vice-reitor de Relações Internacionais da USP, Adnei Melges de Andrade.

(Fotos: Ernani Coimbra)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados