Superintendência de Gestão Ambiental promove conferência sobre educação e sustentabilidade

Ao longo desta semana, especialistas vindos da África do Sul, México, Colômbia, Malásia, Quênia, China e do Brasil estarão reunidos para discutir temas como educação ambiental nas escolas e no ensino superior, gestão participativa em comunidades rurais e tradicionais e biodiversidade, por meio de debates, palestras, workshops, vivências e apresentação de cerca de 190 trabalhos de pesquisadores.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail
O presidente da Agência USP de Cooperação Acadêmica Nacional e Internacional, Raul Machado Neto, e o superintendente de Gestão Ambiental, Marcelo de Andrade Roméro, receberam delegação

No dia 12 de maio, o presidente da Agência USP de Cooperação Acadêmica Nacional e Internacional, Raul Machado Neto, e o superintendente de Gestão Ambiental, Marcelo de Andrade Roméro, receberam uma delegação de participantes da sexta edição da Conferência Internacional de Educação Ambiental e Sustentabilidade “O Melhor de Ambos os Mundos”, que está sendo promovida pela Superintendência até a próxima sexta-feira, dia 16, no Sesc Bertioga, em São Paulo.

O evento é realizado em parceira com Escola de Engenharia de São Carlos (EESC), o Instituto de Biociências (IB) e  o Laboratório de Educação e Política Ambiental da Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” (Esalq).

Ao longo desta semana, especialistas vindos da África do Sul, México, Colômbia, Malásia, Quênia, China e do Brasil estarão reunidos para discutir temas como educação ambiental nas escolas e no ensino superior, gestão participativa em comunidades rurais e tradicionais e biodiversidade, por meio de debates, palestras, workshops, vivências e apresentação de cerca de 190 trabalhos de pesquisadores.

A conferência ocorreu pela primeira vez na África do Sul, em 1998, e quando realizada na Malásia, em 2005, fortaleceu-se a ideia de levar as discussões que abordassem o “melhor dos dois mundos” a outros países. Uma característica comum compartilhada entre esses países eram as preocupações relativas à vulnerabilidade de sua rica biodiversidade, as ligações histórico-culturais entre os países e as rápidas mudanças em curso nos contextos biofísicos e sociais, como os impactos associados à urbanização: a perda da biodiversidade, a degradação da qualidade de vida, os problemas de transporte público, as questões de gestão de resíduos, a migração rural e urbana.

Mais informações sobre a programação podem ser obtidas no site da conferência.

(Foto: Ernani Coimbra)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados