Programa Acolhe-USP atende alunos, docentes e funcionários

O Programa Acolhe-USP da Superintendência de Assistência Social (SAS) atende os alunos, docentes e funcionários que fazem uso abusivo de álcool e outras drogas em dois endereços: na sede localizada próxima ao portão 1 da Cidade Universitária e em uma sala no lado externo do prédio anexo da SAS.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail
A sede do Programa fica próxima ao portão 1 da USP, mas fora da Cidade Universitária para maior privacidade dos pacientes

Desde janeiro de 2012, está em funcionamento o Programa de Acolhimento ao uso de álcool e outras drogas (Acolhe-USP), mantido pela Divisão de Promoção Social da Superintendência de Assistência Social (SAS), para acolher e atender os alunos, docentes e funcionários da comunidade USP que fazem uso abusivo de álcool e outras drogas.

O Acolhe-USP surgiu da unificação das iniciativas já existentes na Universidade voltadas para o tratamento de dependentes químicos e de álcool. A palavra acolhimento é usada para desvincular o tratamento de um caráter médico e para não tratar com preconceito a questão. O objetivo é o desenvolvimento de ações para o enfrentamento do uso abusivo de álcool e drogas na USP, através de atividades preventivas e assistenciais voltadas para a sua comunidade.

Segundo a Superintendência, o consumo abusivo não é diferente do encontrado na sociedade brasileira em geral, já que a comunidade USP também está inserida nela. Atualmente, há 250 pessoas sendo acompanhadas pela equipe multidisciplinar do Acolhe-USP, composta por psicólogos, assistentes sociais, médicos psiquiatras e enfermeiros, que são especializados e especialmente contratados para fazer o atendimento do Programa e não têm relação com os outros funcionários do Serviço Social da SAS.

No início de cada ano letivo, a Superintendência realiza um trabalho de prevenção com os calouros da USP com o intuito de oferecer a eles mais conhecimentos sobre os riscos do consumo abusivo de álcool e drogas. O Acolhe-USP também mantém parcerias com o Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP e com o Hospital Universitário, por exemplo. Com isso, em caso de necessidade de intervenção, é possível encaminhar o paciente a esses centros, caso o atendimento ambulatorial não apresente bons resultados.

Outro local de atendimento é na sala localizada perto do prédio da Superintendência de Assistência Social

O sigilo do atendimento é uma das questões previstas no regulamento do Acolhe-USP, e os nomesdos pacientes não podem ser divulgados sem o consentimento deles. Por isso, os alunos, docentes ou funcionários não precisam ter receio em procurar o Programa, e também não há necessidade de agendamento para a primeira consulta e nem espera.

Para ser atendido, basta comparecer, de segunda a sextafeira, das 7h às 18h, na sede do Programa na Avenida Afrânio Peixoto, 333 – Butantã, próxima ao portão 1 da USP, mas fora da Cidade Universitária, justamente para preservar a privacidade dos pacientes. Ou ir até a sala localizada na Rua do Anfiteatro, 295 – Cidade Universitária, no lado externo do prédio anexo da SAS, nos mesmos horários e dias.

Mais informações pelos telefones: (11)3032-1127 / 3091-8345 ou pelo e-mail: acolheusp@usp.br

(Fotos: Marcos Santos / USP Imagens)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados