Sedi Hirano, da FFLCH, recebe título de professor emérito

No dia 25 de novembro, Sedi Hirano, professor do Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas (FFLCH) e pró-reitor de Cultura e Extensão Universitária no período de 2005-2007, recebeu o título de professor emérito, em cerimônia realizada no Salão Nobre da Congregação da Faculdade.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

No dia 25 de novembro, Sedi Hirano, professor do Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas (FFLCH) e pró-reitor de Cultura e Extensão Universitária no período de 2005-2007, recebeu o título de professor emérito, em cerimônia realizada no Salão Nobre da Congregação da Faculdade. Uma distinção concedida, segundo o artigo 93 do Estatuto da USP, a professores aposentados, que se destacaram por atividades didáticas e de pesquisa ou contribuído, de modo notável, para o progresso da Universidade; cuja concessão depende de aprovação de dois terços, respectivamente, dos componentes do Conselho Universitário ou das Congregações.

(da esq.p/dir) O chefe do Departamento de Sociologia, Antônio Flávio Pierucci; o novo professor emérito da USP, Sedi Hirano; a diretora da FFLCH, Sandra Margarida Nitrini; e a pró-reitora de Cultura e Extensão Universitária, Maria Arminda do Nascimento Arruda.

A diretora da FFLCH, Sandra Margarida Nitrini, iniciou a cerimônia destacando a atuação do professor Hirano como diretor da Unidade, de 2002-2005, na qual foi criada a Comissão de Cooperação Internacional (CCInt); e a elaboração do Plano Diretor, que está em vigor atualmente. “Ele tem a visão de elaborar metas a longo prazo para a Faculdade”.

Dedicação em tempo integral

Após a leitura do termo de outorga do título de professor emérito, o chefe do Departamento de Sociologia, Antônio Flávio Pierucci, revelou uma característica principal de Hirano, “dedicação em tempo integral à USP e principalmente à FFLCH”. A pró-reitora de Cultura e Extensão Universitária, Maria Arminda do Nascimento Arruda, também professora do Departamento de Sociologia, foi escolhida para homenagear Hirano na cerimônia, que é “um dos momentos mais importantes na vida acadêmica, a nossa honraria máxima”, ressaltou.

Ela fez um resumo do currículo e das principais realizações da vida acadêmica do professor, citando que Hirano teve o desafio de aceitar o convite do professor Florestan Fernandes (1920-1995) para ocupar a cadeira do professor Fernando Henrique Cardoso, afastado na época pelo regime militar. Orientou mais de 60 estudantes, entre mestrado e doutorado, sem contar as iniciações científicas e pós-doutoramento. “Ele é um retrato acabado do sociólogo e intelectual, formado na FFLCH”, finaliza.

Sedi Hirano é o 45º professor da FFLCH a receber o título de emérito

Após a entrega do diploma pela diretora da FFLCH, Hirano aproveitou para agradecer, emocionado, a homenagem, e falar sobre as leituras feitas antes da sua entrada no curso de ciências sociais da USP, um dos mais concorridos naquela época, e de alguns momentos importantes de sua vida acadêmica, como ter sido assistente de Florestan Fernandes, que, para ele, é o fundador da sociologia como ciência no Brasil.

Hirano possui graduação em Ciências Sociais pela USP, mestrado e doutorado em Sociologia pela mesma Universidade; com experiência na área de Sociologia do Desenvolvimento, atuando nos temas relacionados à América Latina, Leste Asiático, desigualdade, pobreza, trabalho e violência. Foi o presidente da Comissão do Centenário da Imigração Japonesa e, atualmente é o presidente do Conselho Editorial de Cadernos do Programa de Pós-Graduação em Integração da América Latina (Prolam) da USP e membro do Conselho Superior da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

(Fotos: Ernani Coimbra)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados