Pró-Reitoria de Pesquisa quer mais pós-doutorandos

Novo programa oferecerá auxílio permanência a pesquisadores em todas as áreas que atuam na Universidade

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail
krieger
“A grande força de trabalho nos laboratórios de ponta, em uma universidade de pesquisa como a nossa, deve ser o pós-doc”, afirma o pró-reitor de Pesquisa, José Eduardo Krieger

A Pró-Reitoria de Pesquisa da USP está instituindo o Programa de Incentivo à Atração de Pós-Doutorandos, que irá oferecer auxílio permanência a pesquisadores que estejam aguardando aprovação de bolsa para seu projeto pela Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

O programa, voltado a pós-doutorandos de todas as áreas do conhecimento que atuam nas Unidades de Ensino e Pesquisa da Universidade, deverá contemplar 15 pesquisadores. Mas, como ressalta o pró-reitor de Pesquisa, José Eduardo Krieger, o número de bolsistas poderá ser ampliado. “Faz parte das prioridades da Pró-Reitoria, desde o início da gestão, aumentar a presença de pós-doutorandos na Universidade e vamos envidar todos os esforços para que, se esse limite for ultrapassado, possamos viabilizar quantos forem necessários”, afirma o pró-reitor.

Os auxílios, no valor mensal de R$ 2 mil, serão pagos pelo período de até seis meses e suspensos assim que a Fapesp aprovar o projeto apresentado pelo pós-doutorando. “Queremos facilitar essa transição. A grande força de trabalho nos laboratórios de ponta, em uma universidade de pesquisa como a nossa, deve ser o pós-doc. É assim que as mais importantes universidades do mundo atuam. Esse é o indivíduo que já conhece muito bem o método científico, foi tutorado durante o Mestrado e o Doutorado e está pronto para desenvolver sua pesquisa de maneira independente”, destaca.

Atualmente, a USP tem cerca de 2.100 pós-doutorandos, dos quais 740 são bolsistas da Fapesp. “Hoje, temos a proporção de 0,3 pós-doc por docente. Queremos que essa relação chegue a 1 por 1 e, ao longo do tempo, aumente. Naquelas instituições com as quais a gente procura se comparar, pelo que representam no ambiente acadêmico e científico, a relação é muito maior”, considera Krieger.

Para solicitar o auxílio, o pós-doutorando deve ter seu plano de trabalho aprovado pela Comissão de Pesquisa da Unidade; deve estar ativo no sistema Atena [sistema corporativo da Pró-Reitoria de Pesquisa];  não pode possuir vínculo empregatício e deve ter o processo de solicitação de bolsa de Pós-Doutorado à Fapesp já habilitado. As solicitações serão atendidas em fluxo contínuo até o esgotamento dos recursos, considerando a data de entrada do processo na Pró-Reitoria de Pesquisa.

(Foto: Marcos Santos / USP Imagens)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados