Osusp abre temporada em comemoração aos seus 40 anos

Celebrando quatro décadas de atividade ininterrupta, a Orquestra Sinfônica da USP abre a temporada de 2015 com um concerto especial, em homenagem aos maestros Camargo Guarnieri e Ronaldo Bologna, no dia 22 de março.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Celebrando quatro décadas de atividade ininterrupta, a Orquestra Sinfônica da USP abre a temporada de 2015 com um concerto especial, em homenagem aos maestros Camargo Guarnieri e Ronaldo Bologna, no dia 22 de março

“Houve uma época em que se discutia muito qual seria a função da Osusp: ela deveria tocar exclusivamente dentro da Universidade ou ela deveria também realizar concertos fora da USP. Hoje, superamos esse momento. Está muito claro que nós devemos divulgar a música dentro da Universidade, que também temos o importante papel de levar o que há de melhor em música erudita para o Estado de São Paulo e para o Brasil.” É assim que o diretor Edson Leite define a atuação da Orquestra, que chega aos 40 anos como uma das mais importantes sinfônicas do país.

A programação completa pode ser consultada na página da Osusp

Pensada para homenagear os músicos, diretores e dirigentes que ajudaram a construir a Orquestra, a temporada deste ano abre com um concerto dedicado aos dois primeiros maestros da Osusp, Camargo Guarnieri e Ronaldo Bologna. A apresentação, que será realizada no dia 22 de março, às 16h, na Sala São Paulo, terá a regência de Ricardo Bologna – filho de Ronaldo –, e participação do pianista Pablo Rossi. No programa, o “Concerto para Cordas e Percussão”, de Camargo Guarnieri; “Rhapsody in Blue”, de George Gershwin; “Variações Concertantes”, de Alberto Ginastera; e “Danzon nº 2”, de Arturo Marquez.

Além dos brasileiros Ricardo Bologna, Wagner Polistchuk e Roberto Tibiriça, a temporada contará com a participação dos maestros Nicolás Pasquet (Alemanha), Johannes Schlaefli (Suíça), Bartosz Zurakowski (Polônia) e Ilya Stupel (Ucrânia). Entre os solistas convidados estão os brasileiros Eduardo Monteiro, Pablo Rossi, Rogério Zaghi, Cláudio Micheletti e Antonio Lauro del Claro, a pianista russa Olga Kiun, a violinista polonesa Patrycja Piekutowska e o violoncelista norte-americano Dennis Parker.

O destaque da temporada é o concerto especial “40 Anos de Osusp”, que acontecerá no dia 28 de novembro e apresentará, entre outras obras, a “Sinfonia nº 3” de Camargo Guarnieri. A apresentação ocorrerá exatamente 40 anos após o concerto de estreia da Osusp, realizado no dia 28 de novembro de 1975, no Anfiteatro de Convenções e Congressos da USP, e regido por Camargo Guarnieri. Naquela ocasião, a Orquestra executou obras de Corelli, Mozart, Tansman, Villa-Lobos e Hindemith.

Ao longo da temporada também serão apresentadas, pela primeira vez, as obras “Licença Dramática”, de Adail Fernandes; “Abertura”, de Newton Carneiro; e “Luta e Vida”, de Ricardo Calderoni, especialmente compostas para a Osusp. Para encerrar a programação de 2015, a Osusp e o CoralUSP apresentarão excertos da ópera “Carmen”, de Georges Bizet, no dia 12 de dezembro.

A programação completa e informações sobre assinaturas e compras de ingressos estão disponíveis na página da Orquestra.

Orquestra Sinfônica da USP

Originalmente instituída pela Portaria nº 24, de 6 de outubro de 1972, a Orquestra Sinfônica da Universidade de São Paulo seria vinculada à Escola de Comunicações e Artes, sob a direção do maestro Olivier Toni. Porém, a criação efetiva da Osusp só se deu três anos depois, pela Resolução nº 642, de 6 de maio de 1975, que vinculou s sinfônica à Coordenadoria de Atividades Culturais – atual Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária –, sob a direção do renomado compositor paulista Mozart Camargo Guarnieri. A ideia era criar uma orquestra profissional, inserida na Universidade, mas com autonomia e independência, que contribuísse para a formação de público, fosse uma referência em música erudita de qualidade e estimulasse o desenvolvimento de compositores brasileiros.

O primeiro passo desse processo foi a contratação de músicos profissionais de alto nível, especialmente para a seção de cordas. Isso contribuiu para a excelência nesse naipe, que até hoje é uma característica da Osusp.

Após a morte de Guarnieri, em 1993, assumiu a direção Ronaldo Bologna, que consolidou o trabalho de seu antecessor e incorporou ações que deram maior visibilidade à Orquestra, como a realização de concursos de composição, apresentações com regentes e solistas convidados e divulgação da programação anual de concertos com antecedência. Em 2002, assumiu a regência Carlos Moreno, que ampliou consideravelmente a orquestra e iniciou apresentações regulares na Sala São Paulo.

Ao longo dos anos, a orquestra foi sendo completada e hoje, conta com cerca de 40 músicos profissionais, além de artistas brasileiros e estrangeiros convidados para a realização de apresentações, masterclasses e outras atividades.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados