Dirigentes da Medicina tomam posse com compromisso com o futuro

Novo currículo do curso de Medicina e intolerância a casos de violência e violação dos direitos humanos na Unidade foram pontos destacados pelo novo diretor

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail
A troca das vestes talares – borla e capelo – é um dos rituais da cerimônia de posse na Faculdade de Medicina

A cerimônia de posse dos novos diretor e vice-diretor da Faculdade de Medicina (FM), José Otávio Costa Auler Junior e Tarcísio Eloy Pessoa de Barros Filho, realizada no dia 10 de dezembro, teve início com a entrada dos professores titulares da Unidade, devidamente trajados com as vestes talares, que conduziram os novos dirigentes até ao palco. Esta representa a 28ª gestão da Unidade ao longo de seus 102 anos de existência.

Estiveram presentes à cerimônia dirigentes da Universidade e de entidades de classe, representantes governamentais, dentre eles, o secretário Estadual de Saúde, David Uip, além de professores, funcionários e alunos da Faculdade de Medicina.

O hino nacional brasileiro foi executado por dois alunos de graduação da FM, Pedro Vianna Chama (voz) e Leonardo Torres Branco (piano).

O diretor da Faculdade, na gestão 2010-2014, Giovanni Guido Cerri, que, atualmente, preside o Conselho Deliberativo do Hospital das Clínicas (HC), ressaltou a importância da Instituição e do HC para saúde pública do Estado e do país.

Cerri destacou também a reestruturação do currículo do curso de Medicina, que passará a vigorar a partir de 2015, e comentou a respeito dos recentes casos de violência ocorridos na Faculdade. “É muito importante que a Faculdade avance em seus projetos e, por isso, a Congregação estabeleceu recentemente normas para o que o convívio, a segurança e o respeito dentro da Instituição possam evoluir”, afirmou.

Em seguida, foram iniciados os atos de posse do novo diretor, com a leitura do termo de compromisso e a troca das vestes talares – borla e capelo – que consiste em um dos rituais da cerimônia de posse na FM.

Após a leitura do termo de compromisso, o vice-diretor Tarcísio Eloy Pessoa de Barros Filho, em seu discurso, enfatizou o papel social da Instituição e as prioridades da gestão que ora se inicia.  “Os princípios estabelecidos no Projeto FMUSP 2020 serão nossas prioridades: humanização, integração, internacionalização, excelência de ensino, incorporação de novas tecnologias, sustentabilidade”, afirmou.

A Faculdade de Medicina  lidera um processo para definir, de forma participativa, os rumos da instituição para os próximos anos. Em 2020, a Instituição comemorará o centenário de lançamento da pedra fundamental de sua sede.

Compromisso

(Da esq.p/dir.) O vice-diretor empossado Tarcísio Eloy Pessoa de Barros Filho; o reitor Marco Antonio Zago; o novo diretor da FM, José Otávio Costa Auler Junior; e o vice-reitor Vahan Agopyan

O novo diretor da Unidade, José Otávio Costa Auler Junior, reiterou o compromisso com a formação dos estudantes em futuros profissionais de saúde altamente qualificados. Ele lembrou que o decreto de criação da Universidade foi assinado na sala da Congregação da Faculdade, em 1934.

Sobre a reestruturação curricular do curso de Medicina, Auler destacou que a proposta foi pautada pelo estabelecimento de competências e  integração de conteúdos, tendo como cerne do aprendizado transformativo. “Trata-se de uma proposta ousada e impregnada de princípios humanísticos”, considerou.

O novo dirigente também não se furtou a falar sobre as medidas adotadas pela Faculdade para coibir os casos de violência, com a proibição de realização de festas e consumo de álcool na Unidade, e para apoiar, confortar e acolher as vítimas. “Jamais toleraremos ou aceitaremos atos indecentes que agridem o ser humano. Não é cultura ou tradição desta casa. Frente aos fatos desabonadores que chegaram à Direção, apurações e sindicâncias  foram determinadas. Expurgaremos do nosso convívio aqueles que forem apontados como autores”, salientou.

O reitor Marco Antonio Zago discorreu sobre o trabalho que será feito pela Comissão de Direitos Humanos da USP, que liderará iniciativas e a política com relação a casos e denúncias de violações dos direitos da pessoa no âmbito da Universidade. 

O encerramento da cerimônia foi marcado por uma apresentação musical de dois alunos da Faculdade, Bianca de Andrade Silva, que interpretou a música “Eu sei que vou te amar”, de Tom Jobim, e Vitor Ikky Kawahara, ao piano.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados