Nova Diretoria reforça o papel social do Instituto de Psicologia

A nova diretora do Instituto de Psicologia, Marilene Proença Rebello de Souza, e o vice-diretor Andrés Eduardo Aguirre Antúnez tomaram posse nesta quarta-feira, dia 24 de agosto, em cerimônia realizada na Sala do Conselho Universitário.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInImprimir esta páginaEnviar por e-mail

A nova diretora do Instituto de Psicologia (IP), Marilene Proença Rebello de Souza, e o vice-diretor Andrés Eduardo Aguirre Antúnez tomaram posse nesta quarta-feira, dia 24 de agosto. A cerimônia foi realizada na Sala do Conselho Universitário e contou com a presença do reitor Marco Antonio Zago, do vice-reitor Vahan Agopyan, além de vários dirigentes, docentes, servidores e alunos da Universidade.

994X4760
[A partir da esquerda] A diretora Marilene Proença Rebello de Souza, o reitor Marco Antonio Zago e o vice-diretor Andrés Eduardo Aguirre Antúnez
Após a execução do Hino Nacional pelo Grupo “12 em Ponto” do Coralusp, o ex-diretor do Instituto, Gerson Aparecido Yukio Tomanari, abriu a cerimônia saudando e desejando sucesso aos novos dirigentes. “Na gestão que encerramos agora, apresentamos um conjunto de conquistas e ações que nos orgulharam não apenas pela importância e extensão das ações, mas porque contaram com a motivação e o comprometimento de alunos, docentes e funcionários que acreditaram em nossos valores”, declarou o ex-diretor.

Em seguida, o vice-diretor Andrés Eduardo Aguirre Antúnez falou sobre sua trajetória pessoal e profissional e a responsabilidade de fazer parte da nova diretoria do IP. “O aprendizado na vida é constante e, apesar dos desafios e exigências do cargo, essa é uma possibilidade de contribuir para superar este difícil momento histórico que passamos e para a construção de uma Universidade melhor, respeitando os valores humanos, a ética e o direito às divergências”, afirmou.

Criado em 1969, a partir do curso de Psicologia – que, por sua vez, originou-se de uma disciplina do curso de Filosofia da antiga Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras -, o Instituto de Psicologia é uma das Unidades mais procuradas pelos jovens atualmente, sendo que o curso de psicologia foi o segundo com maior relação candidato por vaga no vestibular Fuvest 2016.

994X4655
“Nossa gestão encontra conquistas materializadas dos dirigentes anteriores, de servidores e colaboradores que transformaram o IP em uma referência nacional e internacional. Essas conquistas precisam ser valorizadas e outras possibilidades devem ser criadas”, afirmou a nova diretora

“Exercer a gestão do Instituto de Psicologia é uma tarefa de grande responsabilidade, que exigirá enfrentar os desafios acadêmicos, administrativos e financeiros, tanto no âmbito interno da Unidade quanto na sua relação com a Universidade. Nossa gestão encontra conquistas materializadas dos dirigentes anteriores, de servidores e colaboradores que transformaram o IP em uma referência nacional e internacional. Essas conquistas precisam ser valorizadas e outras possibilidades devem ser criadas,” afirmou Marilene Proença Rebello de Souza, em seu discurso de posse.

Marilene também ressaltou a importância social do Instituto e seu engajamento, por exemplo, na luta pelo Sistema Único de Saúde (SUS), pela reforma sanitária, pelo Estatuto da Criança e do Adolescente e pelo plano nacional da educação. “O campo da psicologia é uma área que tem passado por grandes mudanças nos últimos anos. É no IP que temas como diversidade, preconceito, direitos humanos, subjetividade, sexualidade, aprendizado, saúde mental e desenvolvimento humano são objetos constantes de discussão e de pesquisa”, lembrou a nova diretora.

Em seu discurso, o reitor Marco Antonio Zago reforçou que “o ato público da posse é um momento de alegria, de renovação e de reflexão sobre a Unidade no contexto da Universidade. A USP faz o Brasil ser um país melhor. Por isso, olhamos para o passado como uma referência, mas convidamos os nossos dirigentes para olhar o presente e, principalmente, para pensar sobre o futuro”.

Zago também lembrou a responsabilidade que a Universidade tem com a formação não só de alunos, mas de cidadãos, e a ênfase na postura ética, no respeito à diversidade de ideias. “Temos de ter consciência de nosso papel de educadores. Desse Instituto sairão profissionais, gestores, professores, políticos de cujo trabalho sério e competente dependerá a construção de nossa sociedade, e essa é uma tarefa muito mais complicada do que simplesmente garantir que os alunos concluam seus cursos”.

(Fotos: Ernani Coimbra)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados