MAE lança o documentário “Antiga Amazônia Presente”

O documentário foi lançado no dia 25 de junho, no Museu da Imagem e do Som (MIS), em São Paulo e, pode ser acessado gratuitamente pelo site do Projeto Antiga Amazônia Presente: http://amazoniantiga.tv.br.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail
Exposição com imagens dos bastidores que foi montada no dia do lançamento do documentário

O Museu de Arqueologia e Etnologia (MAE) da USP lançou o documentário “Antiga Amazônia Presente”, no dia 25 de junho, no Museu da Imagem e do Som (MIS), em São Paulo. No dia do lançamento, foi montada uma exposição de fotografias e exibido também um curta-metragem, que mostravam a equipe e os bastidores durante as gravações.

O documentário é composto por cenas de paisagens e entrevistas feitas em viagens aos locais de origem do acervo arqueológico amazônico do MAE: Belém, Ilha de Marajó, Santarém e arredores, todos no Estado do Pará, durante os meses de abril a maio e de setembro a outubro de 2013, respectivamente, épocas de inverno e de verão na Amazônia. Na filmagem, são relatados aspectos históricos dos territórios amazônicos desde a ocupação pelas populações antigas, produtoras dos objetos do acervo, chegando às populações contemporâneas que convivem com esse legado.

Relatos

A equipe gravou sons e imagens dos lugares, em sítios arqueológicos urbanos e em sítios mais distantes, a exemplo das pinturas rupestres encontradas na Serra do Ererê, em Monte Alegre. Mas a parte mais significativa desse acervo audiovisual e fotográfico é aquela constituída por relatos de pessoas que, por diversos motivos, mantêm alguma relação com lugares e objetos do universo arqueológico da Amazônia, atribuindo hoje sentidos e valores a eles.

O reitor Marco Antonio Zago (no centro) com a equipe do documentário e o secretário Estadual de Cultura, Marcelo Araujo (o segundo da esquerda para direita)

“Entre paisagens deslumbrantes e pessoas encantadoras construímos uma narrativa sobre a relação passado-ambiente-presente”, ressalta a equipe do documentário, que foi dirigido por Silvio Luiz Cordeiro (arqueólogo e documentarista), e é formada por Carla Gibertoni Carneiro e Cristina Demartini (ambas arqueólogas), Wagner Souza e Silva (fotógrafo) e Luiz Bargmann (documentarista).

O projeto foi realizado com apoio financeiro do MAE e do edital “Difusão de Intercâmbio Cultural e Científico” da Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária (PRCEU) da USP, que previa o apoio a atividades de intercâmbio da USP com instituições nacionais e estrangeiras em iniciativas na área de cultura e da extensão universitária, em uma de cinco categorias: exposições, artes performáticas, audiovisual, linguagens híbridas e propostas temáticas.

Segundo uma das arqueólogas da equipe e também funcionária do MAE, Cristina Demartini, inicialmente a ideia era fazer um documentário para contribuir com as atividades de divulgação do acervo do Museu. Mas, depois, com a viagem e a experiência proporcionada pelo intercâmbio de culturas, o produto audiovisual foi além. “O conteúdo do documentário ajuda a levantar e despertar questionamentos sobre a preservação da cultura amazônica e do que está acontecendo na região hoje, levando mais conhecimentos para a população brasileira em geral”, afirma Cristina.

Mais uma cena dos bastidores da gravação, que foi feita durante os meses de abril a maio e de setembro a outubro de 2013, respectivamente, épocas de inverno e de verão na Amazônia

O documentário pode ser assistido gratuitamente no site (em português e inglês) do Projeto Antiga Amazônia Presente, onde também encontram-se disponíveis vídeos e fotografias da equipe durante as gravações.

(Fotos: Ernani Coimbra)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados