Ministro da Cultura e presidente da Petrobras visitam obras da Biblioteca Brasiliana

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

(da esquerda para direita) O presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli de Azevedo; o coordenador do projeto Brasiliana USP, István Jancsó; o pró-reitor de Cultura e Extensão Universitária, Ruy Alberto Corrêa Altafim (atrás); o reitor João Grandino Rodas; o ministro da Cultura, Juca Ferreira; e o professor da Escola Politécnica, Vahan Agopyan, visitam as obras da Biblioteca (Crédito: Ernani Coimbra)

O ministro da Cultura, Juca Ferreira, e o presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli de Azevedo, estiveram na Reitoria, hoje, dia 1º de dezembro, para visitar as obras da Biblioteca Brasiliana USP, que está sendo construída na Cidade Universitária “Armando de Salles Oliveira”, entre o prédio da Reitoria e a Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas.

 

O ministro e o presidente da Petrobras foram recebidos pelo reitor eleito, João Grandino Rodas, pelo pró-reitor de Cultura e Extensão Universitária, Ruy Alberto Corrêa Altafim, pelo coordenador do Projeto Brasiliana USP, István Jancsó, entre outros dirigentes da Universidade. A Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin foi criada em janeiro de 2005 para abrigar o acervo doado pelo casal Mindlin. Trata-se do que é considerado o mais importante conjunto de livros e manuscritos já formado por um particular. São aproximadamente 17 mil títulos, ou 40 mil volumes, de literatura brasileira e portuguesa, relatos de viajantes, manuscritos históricos e literários (originais e provas tipográficas), periódicos, livros científicos e didáticos, iconografia (estampas e álbuns ilustrados), obras raras e gravuras. Parte do acervo pertencia ao bibliófilo Rubens Borba de Moraes, que o casal Mindlin guardou depois da morte do colecionador.

 

O projeto da sede em construção, com área de 20 mil metros quadrados, foi desenvolvido pelos escritórios Eduardo de Almeida e Rodrigo Mindlin Loeb, com assessoria da FAU.

 

Além do acervo da Biblioteca Brasiliana, o edifício abrigará também o Instituto de Estudos Brasileiros, a Brasiliana Digital (oferta digital do acervo Mindlin e outros acervos da USP), do Centro Guita Mindlin (centro de conservação e restauro do livro e do papel) e o Centro de Estudos do Livro (dedicado à história e estudo da imprensa, do livro e das práticas da leitura). A Brasiliana Digital, funcionando em local provisório ao lado do canteiro de obras, tem apoio da Fapesp e já disponibiliza obras raras online, para acesso gratuito pela internet.

 

A construção do novo prédio está sendo feita em duas etapas. Nesta primeira fase, estão sendo construídos os espaços da Biblioteca, os laboratórios do Centro Guita Mindlin e da Biblioteca Digital, o anfiteatro e uma sala de exposição. A previsão é de que esta etapa esteja concluída até maio do próximo ano. Este conjunto em construção, além dos investimentos da própria Universidade, da ordem de R$ 18 milhões, tem apoio financeiro do Ministério da Cultura e da Petrobras, dentre outras empresas.

 

Na segunda fase, ainda sem previsão de conclusão, está sendo construída a infraestrutura dedicada ao Instituto de Estudos Brasileiros, aos espaços didáticos e à expansão do laboratório da Brasiliana Digital e do Centro Guita Mindlin.

 

Depois da visita às obras da Biblioteca, o presidente da Petrobras participou da inauguração do Tanque de Provas Númerico, localizado na Escola Politécnica, e do seminário de abertura do ciclo "Pré-Sal na USP", uma realização do Programa de Pós-Graduação em Energia da USP.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail