MAC expõe 115 obras de edições anteriores da Bienal de São Paulo

O Museu de Arte Contemporânea (MAC) inaugurou no dia 25 de agosto, a exposição “Um Outro Acervo do MAC USP: Prêmios-aquisição da Bienal de São Paulo, 1951-1963”, em sua sede histórica, no terceiro andar do pavilhão da Bienal de São Paulo, que vai até o dia 28 de julho do próximo ano.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Esta exposição é uma oportunidade de ver (e rever) acervo que fez parte da Bienal no período de 1951 a 1963

Obra de Maria Martins - A Soma de Nossos Dias, 1954/55

O Museu de Arte Contemporânea (MAC) inaugurou no dia 25 de agosto, a exposição “Um Outro Acervo do MAC USP: Prêmios-aquisição da Bienal de São Paulo, 1951-1963”, em sua sede histórica, no terceiro andar do pavilhão da Bienal de São Paulo – que neste ano realiza a sua 30ª edição, com o tema “A iminência das poéticas”, a partir do dia 4 de setembro.

Esta mostra reúne 115 obras que passaram ao acervo do antigo Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM), em sua grande maioria, como prêmios-aquisição da Bienal de São Paulo, e ficará aberta ao público até 28 de julho do próximo ano.

Com curadoria de Ana Magalhães, nesta exposição procurou-se privilegiar nomes e obras menos conhecidos atualmente, mas que em seu tempo constituíram elementos importantes na história da arte moderna. Reunindo as obras selecionadas por edição da Bienal, a exposição procura mostrar que os prêmios-aquisição pareciam continuar a obedecer às categorias da premiação regulamentar: compravam-se para o antigo MAM obras representativas da pintura, da escultura e da gravura modernas, com algumas poucas exceções. Também há uma presença bastante significativa de obras em papel, testemunho da forte experimentação com as técnicas tradicionais de gravura, aliadas a técnicas reprográficas, ao uso de novos equipamentos gráficos e de larga tiragem, que levaram à elaboração de proposições únicas pelos artistas do período.

O "Viking", 1955, de Ralph Du Casse

A exposição reúne artistas como Robert Adams, Ralph Du Casse, Fritz Winter, Maria Martins, Émile Gilioli, Armando Morales, Henri-Georges Adam, Anna Letycia, Nemesio Antúnez, Prunella Clough, José Luiz Cuevas, Marcel Fiorini, Milton Dacosta, Hans Fischer, Yozo Yamaguchi, Paolo Rissone, Otto Pankok, Marta Peluffo, Jackson Ribeiro, Luiz Martinez Pedro, William Scott, Elisa Martins da Silveira, France Mihelic, Peter Lubarda, Bruno Giorgi e Juan Vilacasas, entre muitos outros.

A visitação para o público é gratuita e está aberta de terça-feira a domingo, das 10h às 18h. O MAC Ibirapuera está localizado no Pavilhão Ciccillo Matarazzo, 3º piso, Prédio da Bienal – entrada pela rampa lateral – dentro do Parque do Ibirapuera, na Av. Pedro Álvares Cabral, s/n, Moema, São Paulo.

Mais informações pelo telefone: (11) 5573-9932 ou pelo site do MAC.

(Com informações da Assessoria de Imprensa do MAC)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados