Instituto de Estudos Avançados lança Cátedra Olavo Setubal

Diplomata e ensaísta, ex-secretário Nacional de Cultura e autor do projeto da lei de incentivo à cultura que leva seu nome, Sérgio Paulo Rouanet será o primeiro titular da Cátedra Olavo Setubal de Arte, Cultura e Ciência, iniciativa do IEA em parceria com o Itaú Cultural.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInImprimir esta páginaEnviar por e-mail
Catedra IEA4
O reitor Marco Antonio Zago (à esquerda) recebeu o diplomata Sérgio Paulo Rouanet, no prédio da Reitoria, para o lançamento oficial da Cátedra

Diplomata e ensaísta, ex-secretário Nacional de Cultura e autor do projeto da lei de incentivo à cultura que leva seu nome, Sérgio Paulo Rouanet será o primeiro titular da Cátedra Olavo Setubal de Arte, Cultura e Ciência. Iniciativa do Instituto de Estudos Avançados (IEA) da USP, em parceria com o Instituto Itaú Cultural, esta é a primeira cátedra de arte e cultura da Universidade.

O lançamento oficial foi realizado no dia 17 de fevereiro, em um encontro no prédio da Reitoria, que contou com a presença do reitor Marco Antonio Zago; do vice-reitor Vahan Agopyan; do  diretor do IEA, Martin Grossmann; do novo titular da Cátedra, Sérgio Paulo Rouanet; o diretor do Instituto Itaú Cultural, Eduardo Saron Nunes, entre outros representantes da Universidade e da instituição cultural.

“É uma honra termos Sérgio Paulo Rouanet inaugurando a Cátedra Olavo Setubal de Arte, Cultura e Ciência. O apoio do Itaú Cultural representa um fortalecimento das relações da Universidade com o setor produtivo, o que é muito importante, pois possibilita que a USP se beneficie da presença de personalidades como o embaixador”, destacou o reitor Marco Antonio Zago.

Após o encontro na Reitoria, parte do grupo visitou o Itaú Cultural. Segundo o gerente do Núcleo de Inovação/Observatório da instituição, Marcos Cuzziol, a parceria reconhece a dedicada atenção que o Itaú Cultural tem dado à gestão e à formação de política cultural e integra os 10 anos do Observatório Itaú Cultural, a serem celebrados neste ano.

O Observatório Itaú Cultural foi criado em 2006 com foco na gestão, na economia e nas políticas culturais. Desde então, promove estudos e debates desses temas, estimulando a reflexão sobre a cultura em seus vários aspectos e analisando os indicadores nacionais.

Sua atuação e alcance são ampliados com seminários, encontros e palestras; uma linha editorial com livros e a Revista Observatório, disponíveis gratuitamente na web; e a promoção de pesquisas sobre o campo cultural. Além disso, desde 2009, realiza um curso gratuito de especialização em gestão cultural em parceria com a Cátedra Unesco de Políticas Culturais, a cooperação da Universidade de Girona, da Espanha, e com o apoio da Organização dos Estados Ibero-Americanos (OEI). O curso tem duração de um ano e acontece por meio de aulas presenciais e virtuais.

Nélida Piñon

Com duração mínima de cinco anos, a Cátedra Olavo Setubal de Arte, Cultura e Ciência terá o IEA como sede e é composta por dois programas: Redes Globais de Jovens Pesquisadores e Líderes na Arte, Cultura e Ciência. A previsão orçamentária total é de R$ 1,5 milhão, com recursos advindos do Itaú Cultural. Para cada programa está prevista a dotação anual de R$ 150 mil.

Antes mesmo do lançamento oficial da Cátedra, parte de suas atividades já havia sido iniciada. A Intercontinental Academia, inaugurada em abril de 2015 com a etapa em São Paulo, está inserida no programa Redes Globais de Jovens Pesquisadores, embasado na formação de novas lideranças, que visa fomentar e promover a pesquisa interdisciplinar de jovens pesquisadores de até quarenta anos de idade.

O programa Líderes na Arte, Cultura e Ciência segue o padrão adotado pela Cátedra José Bonifácio do Centro Ibero-Americano (Ciba), núcleo ligado à Pró-Reitoria de Pesquisa e ao Instituto de Relações Internacionais (IRI), que convida uma personalidade do mundo ibero-americano para ministrar atividades acadêmicas na Universidade durante um ano letivo.

A cada ano, a Cátedra do IEA terá como titular um expoente do mundo artístico, cultural, político, social, econômico ou acadêmico, sendo Rouanet o primeiro desses nomes. Além do titular, participam das atividades professores, pesquisadores e personalidades nacionais e internacionais. Especial atenção será dada às políticas públicas para a cultura e as artes.

“Espero seguir o exemplo de Nélida Piñon, minha colega na Academia Brasileira de Letras e titular da Cátedra José Bonifácio, e ajudar a construir essa nova cátedra, colocando uma pedrinha nesse novo edifício”, afirmou Rouanet.

Olavo Setubal

Olavo Egydio Setubal (1923-2008) teve destacada atuação como empresário, banqueiro e político. Por onde passou, promoveu o acesso à cultura.  Na vida pública e privada, atuou definindo caminhos para o país, com uma trajetória engajada no crescimento econômico aliado às contrapartidas sociais.

Prefeito de São Paulo de 1975 a 1979, entre outros feitos, implantou a Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo, revitalizou a atuação oficial no movimento cultural, abriu o Theatro Municipal a espetáculos populares e reformou e recuperou importantes construções no centro da cidade, como a Biblioteca Mario de Andrade. Foi o idealizador do Centro Cultural São Paulo bem como do Instituto Itaú Cultural, o qual fundou em 1987 e presidiu até 2001.

O novo titular

Sérgio Paulo Rouanet foi secretário nacional de Cultura (1991-1992) e diplomata de carreira, foi embaixador do Brasil na Dinamarca e na República Tcheca. É o oitavo ocupante da Cadeira nº 13 da Academia Brasileira de Letras, eleito em 23 de abril de 1992. Foi professor visitante na pós-graduação em sociologia da Universidade de Brasília (UnB), professor do Instituto Rio Branco e professor visitante da University of Oxford, no Reino Unido.

É graduado em ciências jurídicas e sociais pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, com pós-graduação em Economia, pela George Washington University; em Ciências Políticas, pela Georgetown University; e em Filosofia, pela New York School for Social Research. Na USP, fez o doutorado em Ciência Política.

(Com informações da Divisão de Comunicação do IEA / Foto: Erika Yamamoto)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados