Inovação e internacionalização são fatores de sucesso da FEA, afirma reitor durante posse

Na posse do novo diretor e vice-diretor, o reitor destaca a busca pela inovação e modernização e a preocupação com a internacionalização como aspectos de destaque da Faculdade.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail
esq. p/ dir.: O ex-diretor da FEA, Carlos Roberto Azzoni, e o novo diretor, Reinaldo Guerreiro, após receber as vestes talares

O novo diretor da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA), Reinaldo Guerreiro, e o vice-diretor, Nicolau Reinhard, tomaram posse na última quinta-feira, dia 5 de agosto, às 16h, no auditório da FEA-V.

A cerimônia teve início com a entrada solene dos membros da Congregação da Faculdade, conduzindo Guerreiro e Reinhard. Depois, aconteceu a leitura dos termos de compromisso e de posse e a transmissão das vestes talares ao novo diretor da FEA, feita por Carlos Roberto Azzoni, diretor da Unidade até julho deste ano.

Em seu discurso, Guerreiro destacou a importância do investimento em educação para o desenvolvimento do país e ressaltou que a FEA, desde a sua criação, ajudou a modelar melhores cidadãos, além de  preparar líderes e pessoas de destaque no meio empresarial. Tudo isso se deve, segundo o diretor, ao  “tripé de excelência” da Instituição, formado por seus alunos, professores e funcionários.

O novo vice-diretor da FEA, Nicolau Reinhard

A fala do novo vice-diretor da FEA, Nicolau Reinhard, foi pautada pela pergunta: “O que se espera de um vice-diretor?”, questão que serviu de mote para ele explicar que, “só substituir o diretor é pouco”, pois o mais correto, em sua opinião, é colaborar e contribuir na gestão da Unidade, o que ele, diante de todos, compremeteu-se a fazer.

Inovação, modernização e internacionalização

O reitor João Grandino Rodas ressaltou que as demais Unidades da Universidade têm muito a aprender com a FEA, principalmente por causa da busca constante por inovação e modernização, o que segundo ele, “é fácil de falar, mas não de fazer”. Rodas também citou a internacionalização e os convênios com instituições de renome no mundo todo – com 549 empresas para estágios, 88 universidades estrangeiras, 112 intercambistas desde 2008 e 169 alunos da Faculdade em programas de intercâmbio em outros países. “O progresso se dará através de intercâmbio e da dupla titulação”, destacou.

No final do evento, o pianista e professor da Escola de Comunicações e Artes (ECA), Eduardo Monteiro, apresentou um recital com músicas de Heitor Villa-Lobos, Richard Wagner, Leopoldo Miguez e Frédéric Chopin.

(Fotos: Ernani Coimbra)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados