Inauguração inicia fase de expansão e modernização em Pirassununga

No dia 23 de setembro, em cerimônia que reuniu dirigentes da Universidade, políticos locais e membros das Forças Armadas, foi inaugurada a nova Biblioteca da Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA).

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

No dia 23 de setembro, em cerimônia que reuniu dirigentes da Universidade, políticos locais e membros das Forças Armadas, foi inaugurada a nova Biblioteca da Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA)

O novo edifício tem 1.450 metros quadrados de área construída. O espaço é climatizado, com internet wireless e 19 salas de estudo em grupo, 40 cabines de estudo individual e 16 terminais de computadores para consulta

Ao contrário do que normalmente ocorre no Brasil, onde prédios são adaptados para servirem de bibliotecas, o novo edifício do Serviço de Biblioteca e Informação da FZEA foi especialmente concebido para essa finalidade. “O projeto foi tratado como estratégia de crescimento da Unidade. Buscou-se identificar os principais resultados obtidos após a aplicação de técnicas de benchmarking com os parceiros, para a obtenção de um edifício planejado a promover um melhor atendimento aos seus usuários, ao acesso à informação e à preservação do seu acervo”, afirma o chefe técnico do Serviço de Biblioteca e Informação da Faculdade, Marcelo Roberto Dozena.

O resultado desse planejamento é uma Biblioteca que ultrapassa a função de simples repositor de material impresso e se adapta aos dias atuais, incorporando novas tecnologias de informação e disponibilizando parte do seu acervo no formato virtual. Em seu discurso, o reitor João Grandino Rodas aprovou a iniciativa afirmando que “a Biblioteca de Pirassununga é um exemplo para algumas Unidadesm, que  não aproveitam os recursos disponíveis para transformar suas bibliotecas em algo além de simples depositários de livros e aprimorar a qualidade dos serviços prestados”.

A cerimônia reuniu dirigentes da Universidade, políticos locais e membros das Forças Armadas

Mais inaugurações

No mesmo dia, também foram descerradas as placas de inauguração do Centro de Inovação Tecnológica e Extensão Universitária (Unicetex), da Incubadora de Empresas do Agronegócio de Pirassununga (UNITec) e do Restaurante Universitário.

O Unicetex e a UNITec foram instalados na  recém-reformada ala do antigo ginásio de esportes.

Já, no caso do Restaurante Universitário, foram concluídas a ampliação do refeitório, a instalação de banheiros internos e a recuperação da área externa. Para o começo do ano que vem, quando o fluxo de alunos diminui por causa das férias, são esperadas as reformas da pista de alimentação e da cozinha.

Expansão de Pirassununga

A entrega do prédio da Biblioteca e das outras instalações inicia uma nova fase de inaugurações no campus de Pirassununga. Prestes a completar 20 anos no ano que vem, a FZEA aumentou o número de cursos oferecidos, ampliando seu corpo discente que, hoje, ultrapassa 1.200 alunos. Esse crescimento tornou evidente a necessidade de reestruturar o campus e adequá-lo ao padrão de qualidade que se espera da Universidade.

Sendo o maior campus da USP, com uma área de 2.200 hectares, o projeto de expansão almeja a recuperação da infraestrutura obsoleta, a adequação jurídica e a construção de novas instalações que atendam à crescente demanda do campus.

De acordo com o diretor da FZEA, Douglas Emygdio de Faria, outras obras já estão em andamento, como a ampliação do Biotério; a construção dos laboratórios e dos Blocos Didático e Administrativo do curso de Engenharia de Biossistema; a construção da Unidade Didático-Clínica Hospitalar do curso de Medicina Veterinária; e a reforma da arquibancada, construída na década de 1940 para abrigar o público que participava das avaliações de desempenho de animais em exposição.

O projeto de expansão teve seu início há alguns anos, ainda na gestão da reitora Suely Vilela que, embora não estivesse presente na cerimônia, foi lembrada por Faria como uma das principais responsáveis pela modernização do campus. O reitor também ressaltou a importância da iniciativa de sua antecessora e arrematou afirmando que “continuar as obras de antigos dirigentes não é bondade, é obrigação jurídica, pois a não continuidade de obras já iniciadas é um desperdício de dinheiro público”.

Rodas também sinalizou para a necessidade da construção de um centro esportivo, com quadras cobertas e piscina, anúncio que foi recebido com grande entusiasmo pelos alunos presentes.

(Fotos: Ernani Coimbra)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados