Graduação tem nova forma de avaliação

Alunos, professores e gestores de cursos são convidados a participar do Processo de Avaliação de Cursos através do Sistema Integrado de Indicadores da Graduação (Siga), que até 8 de setembro recebe informações para aprimorar o ensino na Universidade.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Uma nova forma de avaliar o ensino de graduação na USP começou a ser implantada no último dia 3 de agosto. Até o dia 8 de setembro, estudantes, professores e gestores podem expressar suas opiniões sobre os cursos no Sistema Integrado de Indicadores da Graduação (Siga), um espaço virtual acessado através da página eletrônica da Pró-Reitoria de Graduação (www.usp.br/prg). O Siga foi criado para facilitar o acesso da comunidade USP a informações atualizadas sobre os cursos e tem como finalidade fornecer elementos para a reflexão sobre estratégias didáticas e procedimentos de avaliação.Por meio do Siga, a Pró Reitoria de Graduação realiza um conjunto de procedimentos avaliativos e interage com a comunidade USP com o objetivo de apoiar o aprimoramento dos cursos oferecidos pela Universidade, de acordo com a diretriz daquela Pró-Reitora de valorização do trabalho docente, didático e de gestão. Dessa forma, o Siga busca a superação de processos burocráticos de trabalho na docência, alienados de responsabilidade e independentes de outras instâncias.A partir do dia 24 de agosto, os primeiros resultados do processo já poderão ser acessados, sendo que a íntegra dos resultados estará disponível a partir de 10 de setembro. O sistema possibilitará visualizar os resultados, imprimir relatórios, exportar arquivos, enviar e-mails e desenvolver análises e simulações, relacionando diferentes indicadores por meio de gráficos e tabelas.O Siga é um dos elementos do Processo de Avaliação dos Cursos de Graduação da USP, elaborada pela Câmara de Avaliação e aprovada em agosto de 2008 pelo Conselho de Graduação da USP. “Entendemos avaliação como um processo formativo e propositor de corresponsabilidades. Queremos criar uma nova cultura de avaliação dentro da Universidade”, informa o professor Manoel Rodrigues Alves, coordenador da Câmara de Avaliação da Pró Reitoria de Graduação. “Falar em avaliação dos cursos de graduação tem sido, de certa forma, um mito na Universidade, tanto para professores quanto para alunos. Por isso, entendemos ser necessário envolver alunos, professores e gestores em todas as etapas e procedimentos da avaliação realizada pelo Siga de modo transparente. Trata-se de construir um processo que altere paradigmas culturais instalados e venha a fazer parte do cotidiano das atividades acadêmicas. Quando isso acontecer, será mais fácil para todos entender o processo e participar.”Os estudantes podem participar da avaliação através do JúpiterWeb, o sistema de uso comum dos alunos de graduação. Já os professores e os gestores devem inserir suas informações e opiniões diretamente na página do Siga. A partir de 5 de outubro ex-alunos também poderão participar do processo, através do link Egressos Web, do Sistema Júpiter.As informações do Siga objetivam uma melhor compreensão das dinâmicas da graduação, seus procedimentos e processos. E, dessa forma, subsidiar a análise do Plano Trienal de Metas da Graduação (2009-2011) e das Diretrizes de Revisão Curricular dos Projetos Político-Pedagógico de cada unidade, sugere Alves. Lembrando que esta é a primeira vez que a Pró-Reitoria de Graduação delega às Comissões de Graduação (CGs) essas atribuições, o professor acrescenta: “As informações do Siga devem auxiliar nos processos de revisão e reestruturação curricular dos cursos da unidade, reconhecendo as CGs como corresponsáveis pelo processo. Num primeiro momento, isso pode até causar um certo estranhamento, mas o reconhecimento e valorização das CGs e das Comissões de Coordenação de Curso associam-se, por um lado, ao reconhecimento do curso como um dos vínculos básicos do docente na construção de projetos coletivos e individuais e, por outro, à valorização do trabalho docente, didático e de gestão. Esse entendimento é necessário para a criação e fortalecimento de uma nova cultura de avaliação no ambiente acadêmico”.

O professor Manoel Alves, coordenador da Câmara de Avaliação da Pró-Reitoria de Graduação: "Cada unidade vai definir como trabalhar com as informações obtidas pelo Siga"

Infraestrutura e conteúdos – Disponível na internet desde o último dia 3 e aberto à participação até 8 de setembro, o Siga se baseia em perguntas específicas para docentes, alunos e gestores. Aos docentes cabe avaliar aspectos do curso e de suas disciplinas, respondendo a perguntas sobre conteúdos didáticos e mecanismos de interação, processos pedagógicos e avaliativos, infraestrutura e condições de ofertas de disciplinas, entre outros. Os alunos também se manifestam sobre as condições de infraestrutura, formas de avaliação e relevância dos conteúdos abordados, entre outros itens. “A avaliação dos alunos volta-se mais para questões da sua percepção do ambiente do curso”, diz Alves. “Mas pede-se também a eles que efetuem uma autoavaliação de seu desempenho e de seu grau de motivação, além de avaliarem seu grau de aprendizado, as dificuldades encontradas, as competências e habilidades adquiridas, por exemplo.”Já aos gestores cabe avaliar o ambiente geral do ensino de graduação na sua unidade, abordando aspectos como graduação e produção de conhecimento, estrutura curricular e espaços de formação, internacionalização e mobilidade discente. Além disso, eles também devem informar quanto ao impacto, na sua unidade, dos programas promovidos pela Pró-Reitoria de Graduação, como o Ensinar com Pesquisa, o de Reequipamento de Laboratórios Didáticos (Pró-Lab), o de Apoio à Internacionalização da Graduação (Pró-Int) e o de Apoio à Realização e Participação em Eventos Voltados à Graduação (Pró-Eve).Alves reitera que o Siga é parte de um processo de construção de uma nova cultura acadêmica de avaliação. Para tanto, tendo como premissa possibilitar o reconhecimento da diversidade da USP e das especificidades dos cursos em cada uma de suas unidades, ressalta a importância de que o processo seja flexível o suficiente para permitir que cada unidade formate o seu próprio desenvolvimento. Para ele, “o Siga fornece subsídios às políticas da Pró-Reitoria de Graduação, das Comissões de Graduação e das Coordenações de Curso. O processo tem como objetivo oferecer um conjunto de dados que permita uma melhor compreensão das dinâmicas da graduação. Compete a cada unidade definir como trabalhar com essa informação para a melhoria continuada dos cursos”.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail