Ex-reitor da USP, José Goldemberg, toma posse na Academia Paulista de Letras

O reitor da USP, período 1986-1990, José Goldemberg, tomou posse no dia 13 de fevereiro, na Academia Paulista de Letras (APL), passando a ocupar como membro efetivo a cadeira nº 25.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

O reitor da USP, período 1986-1990, José Goldemberg, tomou posse no dia 13 de fevereiro, na Academia Paulista de Letras (APL), passando a ocupar como membro efetivo a cadeira nº 25.

O novo integrante da APL foi levado até a mesa de cerimônia pelos acadêmicos Juca de Oliveira e Ignácio de Loyola Brandão, Antonio Penteado Mendonça, José Renato Nalini, Dom Fernando Antonio Figueiredo e Lygia Fagundes Telles, que também é membro da Academia Brasileira de Letras.

Membros da APL

O presidente da APL, Antônio Penteado Mendonça, fez a abertura dos trabalhos e apresentou todos os acadêmicos presentes. O discurso de saudação ao novo membro da APL foi feito pelo acadêmico e 2º tesoureiro José Pastore, que também é professor aposentado da USP. O secretário-geral da APL, José Renato Nalini, atual presidente do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, leu o termo de posse, e Dom Fernando Figueiredo, 1º Secretário da APL e bispo da Diocese de Santo Amaro, entregou o diploma de Acadêmico e o governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, que na cerimônia era o presidente de honra da APL, colocou a “eglantina” (emblema da Academia) no novo acadêmico.

Além de amigos, familiares de Goldemberg, a cerimônia teve a presença do atual reitor da Universidade, Marco Antonio Zago, e de várias autoridades do meio acadêmico e político, como o Presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), Celso Lafer – professor emérito pelo Instituto de Relações Internacionais (IRI) da USP.

APL

A Academia Paulista de Letras foi fundada em 27 de novembro de 1909, com sede no centro da cidade de São Paulo, e é composta por 40 membros com o intuito de “proteger o idioma e em partilhar experiências literárias sob a inspiração de um ritual longevo, através de uma representatividade singular, heterogênea e que faz dela um dos espaços mais interessantes, instigantes e, por isso mesmo, disputados pela gente paulista”, destaca texto no site da Academia do atual secretáriogeral.

Goldemberg terá companhia na APL de personalidades como Julio Medaglia, Ruth Rocha e Walcir Carrasco. E, além disso, professores ou exprofessores da USP: Benedito Lima de Toledo, Eros Roberto Grau, Miguel Reale Junior, Ada Pellegrini Grinover, por exemplo. Confira a lista completa dos atuais acadêmicos: http://goo.gl/Cw4CP6

Currículo

Doutor em ciências físicas pela USP, professor emérito do Instituto de Física (IF), honorário do Instituto de Estudos Avançados (IEA) e colaborador sênior no Instituto de Energia e Ambiente (IEE), todos da Universidade. Como professor ou pesquisador esteve nas Universidades de Paris (França), Princeton e Stanford (Estados Unidos) e Toronto.

Um dos maiores especialistas em energia no mundo, Goldemberg é conhecido defensor do uso de novas tecnologias para promover o desenvolvimento sustentável. Em artigo publicado na revista Science, em 1978, Goldemberg e colegas apresentaram uma série de evidências científicas demonstrando que biocombustíveis, então derivados da cana-de-açúcar, poderiam reduzir o uso de combustíveis fósseis no Brasil.

O exreitor foi presidente da Companhia Energética de São Paulo e da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, ministro da Educação, secretário do Meio Ambiente da Presidência da República e secretário do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, entre diversos outros cargos. Em 2007, copresidiu o painel de estudos do InterAcademy Council (IAC), responsável pelo relatório Lighting the Way: Towards a Sustainable Energy Future. E, atualmente, preside a Comissão Coordenadora das Comemorações dos 80 anos da USP, que completou o jubileu em 25 de janeiro.

Prêmios

Foi selecionado pela revista Time como um dos 13 “Heroes of the Environment” em 2007. No ano seguinte, Goldemberg foi agraciado com o Prêmio “Blue Planet”, patrocinado pela Fundação Asahi Glass, concedido anualmente a pessoas e organizações que se destacam em pesquisas e formulação de políticas públicas na área ambiental e por sua importante participação na realização da Rio 92. No ano de 2010, foi o ganhador do Prêmio de Ciência de Trieste Ernesto Illy, distinção entregue na época pelo primeiro-ministro da Índia. O prêmio, no valor de US$ 100 mil, é concedido anualmente a pesquisadores de países em desenvolvimento por contribuições importantes à ciência e tem o apoio da illycaffè, da Fundação Ernesto Illy e da Academia de Ciências do Mundo em Desenvolvimento (TWAS).

Em janeiro de 2013, obteve mais um reconhecimento internacional, sendo o vencedor do Prêmio Zayed de Energia do Futuro (Zayed Future Energy Prize) na categoria Life achievement, concedido a profissionais de destaque na área de energia renovável. Das mãos do xeique Mohammed bin Zayed Al Nahyan, príncipe herdeiro de Abu Dhabi, Goldemberg recebeu o prêmio no valor de US$ 500 mil em uma cerimônia na capital dos Emirados Árabes Unidos (EAU).

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados