Edusp ganha os Prêmios Sérgio Buarque de Holanda e Jabuti

O livro “O Império dos Livros: instituições e práticas de leitura na São Paulo oitocentista”, publicado pela Edusp, ganhou o Prêmio Sérgio Buarque de Holanda, oferecido pela Fundação Biblioteca Nacional. O livro “Dois Séculos de Projetos no Estado de São Paulo: Grandes Obras e Urbanização”, de Nestor Goulart Reis Filho, professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU), foi o vencedor da categoria Arquitetura e Urbanismo do Prêmio Jabuti.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

O livro “O Império dos Livros: instituições e práticas de leitura na São Paulo oitocentista”, publicado pela Edusp, ganhou o Prêmio Sérgio Buarque de Holanda, oferecido pela Fundação Biblioteca Nacional.

A obra de Marisa Midori Deaecto, pesquisadora da Escola de Comunicações e Artes (ECA), narra a história de São Paulo através da formação de sua primeira Biblioteca Pública, da sua Academia de Direito, das tipografias e dos circuitos de consumo de bens culturais que o crescimento da cidade propiciou. É a história dos espaços de sociabilidade como os cafés e as livrarias, das práticas de leitura e daqueles que consumiam livros na época.

A premiação acontecerá na próxima quinta-feira, dia 15 de dezembro, às 19h, no Auditório Machado de Assis da Biblioteca Nacional.

Prêmio Jabuti

O vencedor da categoria Arquitetura e Urbanismo, Nestor Goulart Reis Filho (esquerda); a presidente da Câmara Brasileira do Livro (CBL), Karine Pansa; e o diretor-presidente da Edusp, Plinio Martins Filho

No dia 30 de novembro, aconteceu, na Sala São Paulo, a cerimônia de entrega do 53º Prêmio Jabuti e a Edusp figurou novamente entre os vencedores da mais antiga e prestigiada premiação literária do Brasil. O livro “Dois Séculos de Projetos no Estado de São Paulo: Grandes Obras e Urbanização”, de Nestor Goulart Reis Filho, professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU), foi o vencedor da categoria Arquitetura e Urbanismo.

A obra, composta por três volumes, conta a história do desenvolvimento de São Paulo nos séculos XIX e XX, revelando um pouco do papel das grandes obras na formação desse estado. As relações entre urbanização, desenvolvimento, projetos e obras de infraestrutura públicos, são evidenciadas em quatro grandes períodos: de 1800 a 1822 e de 1822 a 1889, que compõem o primeiro volume; de 1889 a 1930, integrando o segundo; e de 1930 a 2000, no terceiro volume.

Além do Jabuti, o livro também ganhou o Prêmio de Melhor Livro de História do Ano, oferecido pela Academia Paulista de História.

Esse é o 61º troféu recebido pela Edusp. Em 2010, a editora ganhou na categoria Economia, Administração e Negócios, com o livro “Trabalho flexível, empregos precários?: uma comparação Brasil, França, Japão”, de Nadya Araújo Guimarães, Helena Hirata e Kurumi Sugita (organizadoras); e na categoria Ciências Exatas, tecnologia e informática, com o livro “Obra científica de Mario Schönberg: volume 1 – 1936 a 1948”, de Amélia Império Hamburger (organizadora).

(Foto: Francisco Emolo)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados