Dos cursos de pós-graduação de excelência no Brasil, mais de 30% são da USP

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

A Universidade de São Paulo (USP) consolidou sua posição como a universidade brasileira com o maior número de cursos de Pós-Graduação Stricto Sensu (Mestrado e Doutorado) com conceito 7, considerada a nota máxima, segundo a Avaliação Trienal 2007 da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), cujo resultado foi anunciado ontem (20/12),  com a conclusão do julgamento dos recursos dos programas de pós-graduação requeridos pelas instituições avaliadas.

 

Após a avaliação da Capes, divulgada em outubro deste ano, a USP interpôs 69 recursos, dos quais 18 foram acolhidos, referentes à mudança de notas.

 

Com isso, de acordo com a avaliação, a USP detém 30,5% de todos os programas com conceitos 6 e 7 do país. A Universidade oferece 222 programas de pós-graduação, o que representa 10% de todos os programas de pós-graduação brasileiros. No âmbito da Universidade, do total dos programas, 70% estão avaliados com notas entre 5 e 7, sendo 29% considerados excelentes (com conceitos 6 e 7).

 

Para a reitora da USP, Suely Vilela, tais resultados mostram a efetividade das ações implementadas para o fortalecimento e a manutenção da excelência dos Programas de Pós-Graduação da Universidade. A reitora ressalta, como exemplo, os investimentos realizados visando à maior inserção internacional dos programas, como o incremento de bolsas e auxílios para o intercâmbio discente e docente. Atualmente, a USP possui 400 convênios de cooperação internacional em vigência. 

 

A Capes também aprovou novos cursos de Pós-Graduação da USP, que terão início em 2008: Mestrado em Bioinformática, avaliado com conceito nota 5;  Mestrado e Doutorado

em Medicina Tropical (conceito 5) e um Programa Internacional de Doutorado

em Biologia Celular e Molecular Vegetal, firmado com duas universidades norte-americanas (conceito 5). 

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail