Diretoria do IF toma posse destacando importância da Unidade e do diálogo

Em sua posse, o diretor e vice-diretor, respectivamente, Marcos Nogueira Martins e Manfredo Harri Tabacniks, destacaram sua longa relação com o Instituto, ambos fizeram graduação e pós-graduação pelo IF, e a importância da comunidade que a compõe.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail
994X2571
(Da esq. p/dir.) O diretor Marcos Nogueira Martins e o vice-diretor Manfredo Harri Tabacniks, cujos mandatos vão até 17 de agosto de 2019

A nova diretoria do Instituto de Física, composta pelo diretor e vice-diretor, respectivamente, Marcos Nogueira Martins e Manfredo Harri Tabacniks, tomou posse nesta segunda-feira, em cerimônia realizada na tarde do dia 26 de outubro, no Auditório Abrahão de Moraes.

O evento teve início com o Coral Phisicantus, formado por membros da comunidade do IF e de outras Unidades da USP, cantando o Hino Nacional. Em seguida, foram realizadas as leituras dos atos de posse; depois os discursos, nos quais os empossados destacaram sua longa relação com o Instituto, já que ambos fizeram graduação e pós-graduação pelo IF, e a importância dos seus docentes, funcionários e alunos.

O vice-diretor Manfredo Harri Tabacniks lembrou do início da sua carreira, que foi toda feita no Instituto, a qual começou como monitor de disciplina até tornar-se professor titular; e falou da importância do Instituto e da comunidade que o compõe. “Somos a maior instituição de física da América Latina e a com maior diversidade de temas de pesquisas. Todos os professores, funcionários e alunos têm o seu papel e a sua importância dentro da Unidade. Por isso, é importante que todos trabalhem juntos e em prol da Universidade”.

Diálogo aberto 

Marcos Nogueira Martins iniciou sua fala dizendo que era uma responsabilidade muito grande ser diretor de uma Unidade referência na área de Física, “na qual entrei aos 17 anos quando fiz vestibular e da qual, passados quase 46 anos, ainda não saí”. O novo diretor destacou que, apesar do IF não ser uma das maiores Unidades da USP em tamanho, a comunidade que compõe o Instituto é relevante. São 450 docentes e funcionários, 800 alunos de graduação e 400 de pós-graduação, 35 professores seniores, 70 alunos de pós-doutoramento, além de vários visitantes e colaboradores. “As instituições são feitas por pessoas, de pessoas e para pessoas, em uma dinâmica muito rica e complexa. Não importam se os servidores são docentes ou não docentes, se os alunos são de graduação ou de pós-graduação, estamos todos envolvidos com o Instituto. Todos fazemos o Instituto de Física ser o que ele é, todos nos beneficiamos do seu sucesso e todos nos prejudicamos com seu fracasso” .

O diretor finalizou falando do que pretende em sua gestão. “Este é o meu compromisso: clareza de propósitos, transparência, respeito e diálogo aberto. Não é muito, mas é o bastante para tornarmos juntos, o Instituto de Física um lugar ainda melhor para fazer o que gostamos: a Física”.

994X2756
Durante a posse, o reitor Marco Antonio Zago (em destaque) ressaltou a importância do Instituto e dos seus pesquisadores

“O Instituto de Física sempre foi um local de pesquisadores eminentes, que ajudaram a construir a história da Universidade de São Paulo e são sempre lembrados por nós. Vocês [falando aos novos diretor e vice-diretor] têm um grande desafio ao dirigir um Instituto desta qualidade”, ressaltou o reitor Marco Antonio Zago.

Em sua fala, o reitor aproveitou também para destacar algumas iniciativas realizadas desde o início de sua gestão, de 2014 até o momento. Uma das questões lembradas foram as mudanças aprovadas na última sessão do Conselho Universitário, no dia 13 de outubro: os diretores e vice-diretores das Unidades de Ensino e Pesquisa passarão a ser escolhidos por meio de chapas e com até dois turnos de votação. Segundo Zago, sua gestão vem trabalhando para tornar a USP mais inclusiva, como a adesão ao Sistema de Seleção Unificada (Sisu) como nova forma de ingresso a seus cursos de graduação, além de aprovar e continuar estudando mudanças no Estatuto da USP.

“Eu tenho a ambição de ver toda a comunidade da USP discutindo questões que são de interesse geral. Sem ideias pré-concebidas. E sem medo de mudar onde e quando for preciso. Eu conto com este Instituto, onde sempre ocorreu uma intensa discussão a respeito da vida da Universidade. E, conto com seus dirigentes para ajudar a dar continuidade que a USP pede e temos a obrigação de fazer. Contem com o apoio da Reitoria para os projetos acadêmicos do Instituto de Física”, finalizou o reitor.

(Fotos: Ernani Coimbra)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados