Delegações da Venezuela e de Cuba visitam ESALQ

Assunto de interesse é a produção brasileira de etanol de cana-de-açúcar

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Por Marcelo Basso

Nesta quarta-feira (2), a Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” (USP/ESALQ) recebeu uma delegação de cubanos e venezuelanos, composta por técnicos e pesquisadores do setor sucroalcooleiro. A visita foi coordenada por Rafael Suárez Rivacoba, diretor de Relações Internacionais do Ministério do Azúcar de Cuba.

A comitiva, que foi recepcionada pelo vice-diretor Natal Antonio Vello, veio com o objetivo de conhecer mais profundamente a experiência brasileira, além da participação do governo e da iniciativa privada na produção de etanol de cana-de-açúcar no Brasil. Para tanto, assistiram uma apresentação do professor Tomaz Caetano Cannavam Ripoli, do departamento de Engenharia Rural da Escola, que palestrou sobre plantio e colheita mecanizada de cana.

Julio Boissiere, gerente de desenvolvimento da PDVSA Agrícola, braço da empresa estatal petrolífera venezuelana para agricultura, explicou que seu país está iniciando um processo de produção de cana-de-açúcar em grande escala para extrair etanol. “Já estamos plantando cana na Venezuela há um ano, mas precisamos conhecer mais a tecnologia de produção local, pois o Brasil é referência no assunto”.

A finalidade de se produzir etanol na Venezuela será o de substituir os aditivos atualmente adicionados à gasolina. O governo venezuelano destinou 80 mil hectares de terra para a plantação de cana-de-açúcar em quatro cidades daquele país, Portuguesa, Trujillo, Cojedes e Barrinas.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail